Idosa morre ao ser atacada por abelhas e cinco pessoas ficaram feridas

O marido da vítima, identificado como Francisco Marques, foi o primeiro a ser atacado pelos insetos

atualizado 22/04/2021 23:21

AbelhasDivulgação/CBCE

Maria Aparecida Frota, de 74 anos, tentou salvar o marido de um enxame de abelhas, mas acabou morrendo após o ataque, que aconteceu dentro de casa, na cidade de Coreaú, interior do Ceará. A idosa chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos. O caso aconteceu na manhã desta quinta-feira (22/4).

Francisco Marques, o marido da vítima, foi o primeiro a ser atacado pelos insetos. Durante o ataque, moradores da área correram para ajudar o casal e também acabaram sendo picados.

Ao Uol, o motorista Robson Neves disse que o ataque ocorreu na cozinha da casa. “Foram logo em seu Francisco. Quando dona Aparecida ouviu os gritos, correu para ajudar. Eu e meu irmão também tentamos ajudar. Mas só conseguimos puxar ele”.

Mas parece que essa não é a primeira vez que o caso aconteceu, de acordo com um outro morador, Gerson Renato, “essa colmeia está aí há uns dez anos. Elas já mataram meus cachorros e atacaram outras pessoas. Os bombeiros vêm e tiram, mas elas voltam com o tempo para o galpão”.

Já as vítimas que tentaram ajudar o casal foram levadas pelo Samu para uma Unidade de Saúde da Família da região. Foi ainda informado que todos foram medicados e passam bem.

A colmeia foi retirada ainda nesta quinta pelo Corpo de Bombeiros. O tenente Quildo Azevedo, do 3º Batalhão de Bombeiros Militares de Sobral, explicou que a captura de abelhas é mais segura no período noturno. “Elas retornam todas para a colmeia e se concentram lá. Só saem durante de dia. A gente tenta capturar, mas se não der, serão exterminadas”, disse.

O tenente ainda afirmou que as abelhas provavelmente são da espécie africana e que devem ter atacado por terem sido incomodadas.

“Elas são muito sensíveis a barulho. Ou atacaram por isso ou porque foram mexer na colmeia. O recomendado nesses casos é acionar os bombeiros assim que perceberem as abelhas e não mexer”, concluiu o oficial.

0

Últimas notícias