metropoles.com

Goiás confirma primeira morte pela variante Delta da Covid-19

De acordo com a SES-GO, no total, estado registra dez casos da cepa; pasta afirma que maioria é oriunda de surto no DF

atualizado

Compartilhar notícia

Vinícius Schmidt/Metrópoles
Crianças e adolescentes são testados para CoViD-19 em ação organizada pelo Governo de Goiás
1 de 1 Crianças e adolescentes são testados para CoViD-19 em ação organizada pelo Governo de Goiás - Foto: Vinícius Schmidt/Metrópoles

Goiânia – A Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) confirmou nesta quarta-feira (11/8) o primeiro óbito em decorrência da variante Delta da Covid-19. De acordo com a pasta, já foram confirmados dez casos da cepa, popularmente conhecida como “cepa indiana”.

Em entrevista à TV Anhanguera, o titular da SES-GO, Ismael Alexandrino, atestou a transmissão comunitária da variante no estado e disse que o número de contaminados pode aumentar nos próximos dias.

“É comunitária não pelo quantitativo, mas pela forma que houve a transmissão, não se sabe de quem pegou. Nós imaginamos que nos próximos dias é provável que aumente o número de pessoas contaminadas pela variante Delta”, disse ele.

A primeira vítima fatal da variante Delta da Covid-19 em Goiás foi um idoso de 67 anos, morador de Aparecida de Goiânia, na região metropolitana da capital, que teve a morte constatada no domingo (8/8). Ele estava internado na Unidade de Terapia Intensiva no hospital Garavelo.

Casos confirmados

Segundo a SES-GO, quatro casos são de moradores de Goiânia (dois deles trabalham em unidades de saúde no Distrito Federal e se contaminaram no local de trabalho e outros dois têm como origem uma viagem internacional). O quinto caso é de um morador do município de Santo Antônio do Descoberto, região do Entorno, que também trabalha no Distrito Federal e manteve contato com pessoa contaminada.

Foram confirmados ainda dois casos em residentes de São João D’Aliança, ambos relacionados ao surto de Covid-19 registrado em um hospital do Distrito Federal.

Em Aparecida de Goiânia foram confirmados três casos, todas pessoas da mesma família. Um deles era o idoso que faleceu. Não se sabe a origem da contaminação.

De acordo com a SES-GO, a pasta e as secretarias municipais de Saúde seguem rastreando os contatos, acompanhando e monitorando os casos.

O sequenciamento dos casos em Goiás é feito pela rede genômica instituída pelo Ministério da Saúde, formada pelo Instituto Adolfo Lutz (IAL), em São Paulo; e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro; e ainda por meio de parceria com a Universidade Federal e de Goiás e Pontifícia Universidade Católica de Goiás (UFG/PUC-GO).

Variante Delta

“A variante Delta é perigosa, e continua em mutação. Por isso, exige vigilância constante e ajuste da resposta da saúde pública. A cepa já foi encontrada em 98 países, e se espalha rápido”, alertou o diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom.

Estudos apontam que a variante é mais transmissível do que outras e gera maior risco de hospitalização e de reinfecção, além de sintomas diferentes. Segundo boletim diário divulgado pela SES-GO, o estado contabiliza 770.987 casos de coronavírus e 21.584 mortes pela doença. Os dados são desta quarta-feira.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?