GO: quatro suspeitos de tráfico são mortos em ação da PM na Chapada

Segundo a PM, equipe foi recebida a tiros pelos suspeitos na chácara onde estavam em Cavalcante (GO). Moradores estão revoltados com a ação

atualizado 20/01/2022 20:41

goias suspeitos trafico chapadaDivulgação/PCGO

Goiânia – Uma ação da Polícia Militar de Goiás (PMGO) realizada pelo Grupo de Patrulhamento Tático (GPT) na tarde desta quinta-feira (20/1) terminou com a morte de quatro suspeitos de tráfico de drogas em Cavalcante, na região da Chapada dos Veadeiros (GO).

De acordo com a corporação, a equipe se dirigiu a uma propriedade, na zona rural do município, para checar uma denúncia anônima, quando foi recebida a tiros pelos suspeitos.

Segundo a PM, outros dois suspeitos conseguiram fugir do local. Na chácara, a corporação informou que foram encontrados cerca de 500 pés de maconha. Ainda segundo os policiais, os militares atiraram contra os suspeitos “ao revidarem a injusta agressão”.

0

Revolta

Por meio das rede sociais, moradores da região se mostraram revoltados com a ação da PM. “Nosso colega jacará e mais três colegas moradores de São Jorge, todos trabalhadores, foram assassinados hoje brutalmente, por causa de uma plantação de cannabis, mas claro que a cor da pele no Brasil importa também”, diz uma das publicações.

“Até quando a polícia vai continuar matando sem dó nem piedade e falar que foi confronto??? Ninguém sobrevive pra refutar a história deles! Parem de matar as pessoas, façam justiça, todo cidadão tem direito a um julgamento justo! Quem conhece sabe que as pessoas que morreram nessa ação fracassada não era gente de ter arma! Eram pessoas do bem, cara!”, afirmou outra pessoa na web.

Investigação

A Polícia Civil esteve na propriedade onde ocorreu o confronto e informou que os militares chegaram a prestar socorro às vítimas, levadas a um hospital de Colinas do Sul. No entanto, elas não resistiram e as mortes foram constatadas.

De acordo com a PCGO, a plantação de maconha encontrada na propriedade foi incinerada, conforme previsto em lei. Já as armas encontradas com os suspeitos acabaram apreendidas.

Mais lidas
Últimas notícias