Ex-professor condenado por desviar recursos da USP está foragido

Projetos receberam mais de R$ 325 mil para o desenvolvimento de próteses de baixo custo e a realização de implantes dentários

atualizado 13/10/2021 21:13

Aguinaldo Campos Júnior, dentista e ex-professor da Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (USP) em Bauru (SP), está sendo procurado pela Polícia Federal e o Ministério Público Federal (MPF). O homem foi condenado a 10 anos e 6 meses de prisão por desvio de recursos em pesquisas da universidade em 1998. Ele está foragido há um mês.

Aguinaldo Campos também atuava como diretor-secretário da Fundação Bauruense de Estudos Odontológicos (Funbeo), que firmou acordo para a captação e a gestão dos recursos com o grupo do dentista.

As pesquisas, voltadas para o desenvolvimento de próteses de baixo custo e a realização de implantes dentários, receberam mais de R$ 325 mil por meio de convênios que a Funbeo assinou com o Ministério da Saúde e a Finep.

De acordo com o MPF, parte da quantia foi desviada em compras falsas de materiais e serviços com empresas que pertenciam ao ex-professor. Relatórios também indicaram a ausência de licitações, uso de notas fiscais falsas e a efetuação de pagamentos sem atestados de recebimento dos itens supostamente adquiridos.

Aguinaldo foi demitido da USP dois anos depois, mas só recebeu a condenação por prática de peculato e uso de documentos falsos em 2013.  A sentença se tornou definitiva em agosto deste ano, quando o Superior Tribunal Justiça (STJ) negou os recursos da defesa.

O Metrópoles tentou localizar a defesa do ex-professor, mas não conseguiu. O espaço está aberto para eventuais manifestações.

(*) Jonatas Martins é estagiário do Programa Mentor e está sob supervisão da editora Maria Eugênia

Últimas notícias