Sem máscara, prefeita de Bauru participa de manifestação contra Doria

Suéllen Rosim (Patriota) subiu em um carro de som para pedir a abertura de novos leitos de Covid-19 na cidade

atualizado 12/02/2021 19:56

Prefeita de Bauru participa de ato contra o governador João DoriaReprodução

São Paulo – A prefeita de Bauru, Suéllen Rosim (Patriota), participou, na tarde sexta-feira (12/2), de uma manifestação na cidade de Bauru contra o governador João Doria (PSDB). O ato, organizado pelo Sindicato do Comércio de Bauru e Região, pede a abertura do comércio e mais leitos de Covid-19.

Em vídeo enviado ao Metrópoles, Suéllen subiu em um carro de som com dezenas de pessoas para falar da situação do município.

Ela estava sem máscara de proteção, na contramão das medidas sanitárias contra o coronavírus, ao lado do empresário bolsonarista Luciano Hang, o “Véio da Havan”, e do senador Major Olímpio (PSL-SP). O protesto aconteceu no estacionamento de uma loja da Havan.

A gestora fez críticas à falta de leitos de Covid-19 na cidade, por exemplo. “[…] Abrindo diálogo em todas as frentes, que foi o que fiz desde 1º de janeiro. Pensando junto ao governo do estado, buscando recursos no governo federal para que Bauru tenha o que merece. Quem é bauruense aqui como eu sabe bem o que estou falando: mais vagas de internação, o Hospital das Clínicas de portas abertas, não apenas de forma provisória. Nós precisamos de melhorias na saúde”, disse em trecho do material.

“Véio da Havan” participou

Um dia antes, Hang utilizou as redes sociais para convidar pessoas a participarem do ato. As fotos e os vídeos mostram cerca de 50 pessoas aglomeradas em frente ao carro de som. Os participantes gritaram “Fora Doria” e carregavam bandeiras com mensagens contrárias ao governador.

“É um absurdo o que estão fazendo com a cidade […] Tenho falado que o estado de São Paulo parece um cemitério. Colocam o terror no estado, fecham as cidades, para prejudicar quem? O morador do estado de São Paulo, o trabalhador que fica sem saúde e, principalmente, sem emprego”, disse ele em vídeo divulgado nessa quinta. Luciano Hang perdeu a mãe, de 82 anos, por complicações da Covid-19 na semana passada.

Até o início das 16h, os manifestantes ainda bloqueavam a rodovia Marechal Rondon e a Avenida das Nações.

A região de Bauru está na fase vermelha do Plano São Paulo, a mais restritiva da quarentena, e está proibida de abrir o comércio. O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) determinou que o município siga as recomendações do governo estadual. A área de Bauru, que contempla 68 cidades, está com 93,1 % dos leitos de UTI de Covid-19 ocupados.

Governo e prefeitura de Bauru respondem

Ao Metrópoles, o governo do estado de São Paulo condenou a participação de Suéllen no ato. Em nota, secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, diz que Suéllen esbarra na irresponsabilidade administrativa (leia a íntegra ao fim da matéria).

“A prefeita de Bauru não apenas afronta as regras sanitárias mundialmente aplicadas no enfrentamento à pandemia com a conduta que lamentavelmente adotou nesta sexta-feira. Pouco afeita ao funcionamento da máquina pública, Suéllen reúne, em pleno dia útil e em horário de expediente, servidores municipais, pagos com dinheiro do contribuinte de Bauru, num movimento organizado por um sindicato, e numa semana em que cidades, gestores, clubes e agremiações cancelam atividades de Carnaval em todo o Estado, justamente para conter o contágio da Covid-19.”

Por sua vez, a administração de Bauru respondeu que Suéllen “fez um rápido discurso, único momento em que retirou a máscara, enfatizando a necessidade da criação de mais leitos de UTI e da abertura definitiva do Hospital das Clínicas (HC) pelo Estado. Depois, Suéllen voltou para a prefeitura.” (Veja a íntegra abaixo)

Confira abaixo a nota do governo do estado de São Paulo:

“É assustadora a incapacidade de compreensão da prefeita de Bauru (SP), Suéllen Rosim, quanto à pandemia de Covid-19. Com 93,1% das Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e 60,1% de leitos de Enfermaria da região ocupados por pacientes que lutam contra o coronavírus, a chefe do Poder Executivo participa de aglomeração em protesto que mistura nuances políticas e sindicalistas contra o governador do estado de São Paulo, João Doria.

A gestora, que parece também ter dificuldades de separar o público do privado, marca presença em carreata sem usar máscara, incentivando a aglomeração e, ainda, atrapalhando o fluxo de veículos nas principais vias do município.

Negacionista e esbarrando na irresponsabilidade administrativa, a prefeita de Bauru não apenas afronta as regras sanitárias mundialmente aplicadas no enfrentamento à pandemia com a conduta que lamentavelmente adotou nesta sexta-feira. Pouco afeita ao funcionamento da máquina pública, Suéllen reúne, em pleno dia útil e em horário de expediente, servidores municipais, pagos com dinheiro do contribuinte de Bauru, num movimento organizado por um sindicato, e numa semana em que cidades, gestores, clubes e agremiações cancelam atividades de Carnaval em todo o Estado, justamente para conter o contágio da Covid-19.

A prefeita de Bauru e funcionários que estiveram hoje na manifestação deveriam estar trabalhando pela população, e não, por meio de uma atitude inadequada, colocando em risco a saúde deles próprios e de outros.

Apesar de o Governo de São Paulo respeitar opiniões mesmo que divergentes e mobilizações, é importante lembrar que a própria lei vigente não tolera o uso de instituições públicas a favor de convicções políticas e de anseios pessoais.

Fã dos posicionamentos inconsequentes do presidente Jair Bolsonaro quando os assuntos são ignorar a pandemia e ‘lacrar na internet’, Suéllen parece não se importar com as 389 vidas que o coronavírus já interrompeu em Bauru.

A prefeita também não transparece preocupação face ao alarmante número de casos registrados no último mês pelo Centro de Contingência do Governo do Estado, o que fez, inclusive, com que a região que abarca Bauru fosse classificada na fase vermelha – a mais restritiva do Plano SP. Hoje, a cidade contabiliza 23.990 confirmações de coronavírus.

Cabe ainda ressaltar que a gestora não foi eleita para falar mal do governador de São Paulo, mas, sim, para trabalhar pelo bem de seu povo.

Por fim, é quase de se indignar o fato de Suéllen não se incomodar em marcar presença numa carreata que vai de encontro ao enfrentamento da pandemia ao lado de alguém que perdeu há poucos dias a mãe para a Covid.”

Nota da prefeitura de Bauru

“O empresário Luciano Hang esteve em Bauru por iniciativa própria, a convite do Sincomércio. A prefeita Suéllen Rosim recebeu um convite para almoçar com o empresário nesta sexta-feira (12), e na ocasião ele anunciou que ampliará a sua loja no município, contratando mais funcionários. Em seguida, a prefeita foi convidada a participar do ato, que foi organizado pelo Sincomércio. Ela fez um rápido discurso, único momento em que retirou a máscara, enfatizando a necessidade da criação de mais leitos de UTI e da abertura definitiva do Hospital das Clínicas (HC) pelo Estado. Depois, Suéllen voltou para a prefeitura.

 

0

 

Últimas notícias