Ex-deputada usa foto de menino morto em fake news de óbito por vacina

Filha de Roberto Jefferson, Cristiane Brasil espalha em redes sociais que garoto morreu após imunizante. Criança da foto jamais tomou vacina

atualizado 20/01/2022 17:09

Pelo Facebook e pelo Instagram, a ex-deputada Cristiane Brasil usou imagem de menino morto para inventar que faleceu por causa de vacinaReprodução

São Paulo – A ex-deputada federal Cristiane Brasil (ex-PTB), filha do ex-deputado Roberto Jefferson, usou a foto de um menino de 10 anos, morto no fim do ano passado, para propagar fake news no Facebook e no Instagram. Ela, erroneamente, disse que a causa da morte foi a aplicação da vacina contra o coronavírus.

Em novembro, quando o menino, que sofria de um problema cardíaco, faleceu em São Paulo, ainda não estava liberada a vacinação de crianças de 10 anos contra o coronavírus, e o garoto não tomou o imunizante, de acordo com a família.

A ex-deputada é uma das bolsonaristas mais ativas na propagação de peças de desinformação pelas redes sociais sobre antígenos contra o coronavírus.

Em post no Facebook, feito no fim de dezembro, Cristiane compartilhou a foto de Luca com a mensagem: “Faço um apelo para os amigos que têm filhos de 5 a 11 anos. Não vacinem seus filhos para não chorar arrependidos, ao saber que não tem volta”.

A família viu a foto da criança se propagar em publicações mentirosas e avalia medidas a serem adotadas para impedir o uso da imagem. Parentes e amigos tinham publicado mensagens de solidariedade, com fotos do menino, enquanto ele estava internado em novembro.

0

Suspeita-se de que a ex-parlamentar e grupos antivacina localizaram uma dessas fotos, em perfis abertos de redes sociais, e passaram a usar a imagem para inventar que a causa do óbito foi o imunizante, embora a criança tenha falecido antes de ter a chance de tomar qualquer dose contra o coronavírus e a Covid-19, sequer, tenha sido apontada como a causa da morte.

O caso não tinha relação alguma com a versão fantasiosa propagada pela ex-deputada. O menino foi internado em novembro com taquicardia, depois sofreu parada cardíaca e falência múltipla dos órgãos. Faleceu após 13 dias internado – os médicos apontaram que ele sofreu uma miocardite de origem desconhecida.

Procurada pelo Metrópoles, a ex-parlamentar pediu desculpas e reconheceu o erro. Ela alegou que removeria as publicações de suas redes sociais.

“Peço desculpas pelo equívoco e pensei que já tinha sido resolvido. Mas hoje mesmo já sai tudo. Recebi de um grupo que não costuma errar. Mas esse foi um furão. Já até conversei com eles que precisamos ter ainda mais cuidado para não acontecerem equívocos como este”, alegou a ex-deputada ao Metrópoles.

Mais lidas
Últimas notícias