Enem: candidatos são liberados com prova antes da hora e voltam à sala

Em Brasília, alunos foram obrigados a deixar o local do exame uma hora mais cedo do que o previsto em edital. Depois, puderam retornar

atualizado 29/11/2021 9:16

No saguão do IFB, pais aguardam filhos que fazem prova do EnemTácio Lorran/Metrópoles

Candidatos que faziam a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no domingo (28/11) passaram por situação preocupante no Instituto Federal de Brasília (IFB), na Asa Norte. Segundo relatos de cerca de 10 pais, os alunos foram obrigados a deixar uma das salas sem concluir o gabarito, uma hora antes do término previsto em edital. Os estudantes foram retirados, com o caderno, às 17h30.

Eles reclamaram do tempo, que deveria ser até as 18h30, marcaram as questões às pressas ou as deixaram em branco, mas foram retirados de sala mesmo assim.

Ao perceber o erro no horário, a coordenadora do local saiu pelos corredores, chamando os estudantes para a sala novamente, a fim de terminarem o teste. Alguns voltaram, pois ainda estavam no local. Outros saíram do IFB levando a prova, que só poderia ser entregue aos participante às 18h.

Preocupação

Os pais que receberam ligações dos filhos uma hora antes do previsto ficaram assustados com a maneira como os adolescentes foram retirados das salas. Em seguida, porém, receberam ligações ou mensagens por WhatsApp informando que eles retornariam a fim de concluir o teste.

“Eu queria entender o que aconteceu. Meu filho saiu da prova sem terminá-la, quando o retiraram de sala uma hora antes. Ele me ligou, teve acesso a celular, marcou as questões correndo e depois foi chamado para voltar. Como assim retomar o exame? Ele vai ganhar outro gabarito?”, relatou Cristina Torres, 47 anos, fisioterapeuta. O filho dela tem 18 anos, já concluiu o ensino médio e concorre para engenharia de produção.

Isonomia

Os pais se aglomeraram em frente ao IFB para ter respostas e tentar encontrar os filhos que tinham voltado para a sala. Para eles, as situações tiram a isonomia do certame e ainda colocam em risco o Enem, pois estudantes saíram e voltaram, o que poderia viabilizar o acesso ao cartão de respostas.

“Eles liberaram mais cedo. Meus enteados ligaram para buscá-los. Sim, eles usaram o telefone. Depois, ligaram de novo para dizer que tinham mais uma hora de prova, que a coordenação havia se enganado. Agora, eles vão ficar fazendo o Enem até as 19h30. É um absurdo essa situação”, reclamou Rodrigo Marar, 48 anos, arquiteto, padrasto de estudantes de 17 e 15 anos.

À reportagem do Metrópoles os pais relataram que a coordenadora da aplicação das provas disse ter percebido o erro e dado novo cartão de respostas para os alunos. Segundo os familiares dos candidatos, a coordenadora relatou que houve um equívoco da chefe de sala.

Depois de descobrir o problema, ela chamou os alunos e deu uma hora a mais para eles refazerem o gabarito.

O Metrópoles entrou em contato com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

De acordo com informações do Inep, a chefe de sala e a equipe “fizeram confusão”, pois não ficam com relógio. “Eram 11 participantes na sala que ocorreu o problema. Todos foram localizados, mas três disseram que não queriam fazer a prova naquela condição. Eles poderão solicitar reaplicação do Enem”, anunciou o instituto, por meio de nota.

A reaplicação do teste ocorrerá nos dias 9 de janeiro (para a primeira etapa) e 16 de janeiro (para a segunda etapa).

Enem

Milhões de estudantes participaram, no domingo, do segundo dia de prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021.

A abertura dos portões ocorreu às 12h e o fechamento, às 13h. A distribuição das provas foi às 13h30, no horário de Brasília. A partir de 15h30, candidatos podiam sair sem o caderno de questões e, após as 18h, seria permitido levar o material. O término estava previsto para 18h30. O gabarito costuma ser divulgado três dias úteis depois do exame.

Mais lidas
Últimas notícias