Ultrapassado em pesquisa, Russomanno se diz confiante: “Vou ao 2º turno”

Candidato do Republicanos vinha liderando, mas foi ultrapassado em pesquisa de intenções de voto pelo adversário Bruno Covas (PSDB)

atualizado 23/10/2020 9:16

Russomanno em campanha emspFábio Vieira/Especial para o Metrópoles

São Paulo – O deputado federal Celso Russomanno (Republicanos), candidato à prefeitura de São Paulo, garantiu nesta sexta (23/10) que não ficou abalado com a pesquisa recém-divulgada pelo instituto Datafolha, na qual foi ultrapassado numericamente pela primeira vez e perdeu a liderança para o candidato à reeleição Bruno Covas (PSDB).

“Vamos pro segundo turno, que é uma nova eleição. Tenho bom marqueteiro e boa estrutura, ao contrário de eleições passadas”, garantiu ele, que concedeu entrevista nesta manhã à rádio Eldorado.

A fala do candidato ocorre um dia após o atual prefeito tê-lo ultrapassado nas intenções de voto segundo pesquisa do instituto Datafolha. Apesar do empate técnico pela margem de erro, Covas agora tem 23%, contra 20% do adversário. No levantamento anterior do instituto, em 8 de outubro, Russomanno tinha 27% das intenções e Covas 21%.

“Eu estou recebendo [resultados de pesquisas] com muita felicidade. Foram dois institutos ontem, temos pesquisas internas e estamos um pouco melhor do que essa aparência. Importante pra gente é ir pro segundo turno, considerando que temos 51 segundos de TV e Bruno tem quatro vezes isso”, afirmou Russomanno.

A outra pesquisa a que Russomanno se refere é a do Instituto Ipesp encomendada pela consultoria de investimentos XP. No levantamento, o candidato do Republicanos tem 27% e o atual prefeito, 25%.

“A XP nos coloca na liderança, o Datafolha em segundo lugar. Mas o que conta para nós é que as duas nos colocam no segundo turno. Continuaremos a nossa campanha com o mesmo entusiasmo”, reforçou ele.

Na pesquisa Datafolha, o candidato Guilherme Boulos (PSol) aparece com 14% das intenções. No limite da margem de erro de 3 pontos para mais ou para menos, Russomanno está tecnicamente empatado com o psolista.

“Periferias acabam jogando tudo dentro dos rios”

Uma das razões apontadas por adversários e analistas para a queda de Russomanno nas pesquisas foi uma declaração desastrada na campanha, dando conta de que os moradores de rua, por não tomarem banho, poderiam ser mais resistentes ao coronavírus.

Questionado pelos jornalistas sobre suas políticas contra enchentes, o candidato voltou a fazer uma declaração que generaliza o comportamento de toda uma população — àquela que vive nas áreas periféricas.

“O governo tem que investir para criar uma consciência ambiental, principalmente nas periferias, que acabam jogando tudo dentro dos rios. Isso colabora enormemente para as enchentes”, arriscou.

Sem problemas com a vacina chinesa

Aliado de primeira hora do presidente Jair Bolsonaro e alinhado ao padrinho em quase tudo, Russomanno disse, porém, que não terá “problema nenhum” com a vacina contra o coronavírus desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac, se ela for aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“Eu não sou contra a vacina. Depois de aprovada pela Anvisa, eu faria campanha imensa de conscientização das pessoas. Só não obrigaria as pessoas [a se vacinar], mas sou absolutamente favorável. Quero que ela fique pronta e quero tomar vacina também”, garantiu o candidato a prefeito.

0

Últimas notícias