Pesquisa XP/Ipespe mostra crescimento de Covas e Boulos. Russomanno derrete

Atual prefeito se consolida na liderança da pesquisa com queda de cinco pontos do aliado de Bolsonaro. Boulos é o candidato que mais sobe

atualizado 29/10/2020 10:31

Bruno Covas (PSDB), candidato à reeleição, visita a exposição de Hélio Oiticica no Museu de Arte de São Paulo (MASP), na tarde deste domingo (18/10)Fotos: Fábio Vieira/Especial Metrópoles

São Paulo – Nova pesquisa XP/Ipespe mostra tendência de queda de Celso Russomanno (Republicanos), consolidando Bruno Covas (PSDB), o atual prefeito, na liderança da corrida eleitoral para a Prefeitura Municipal de São Paulo.

O prefeito cresceu dois pontos em relação à pesquisa feita pelo mesmo instituto na semana passada. Ele se firma na liderança, porém, principalmente por causa da queda de Celso Russomanno, que tinha antes 27% das intenções de votos e nesta semana perdeu cinco pontos de preferência.

Quem mais cresceu na pesquisa foi o candidato Guilherme Boulos (PSol). O candidato socialista passou de 12% para 16% das intenções de votos dos paulistanos, saindo da área de empate técnico com o ex-governador Márcio França (PSB), que se manteve com 8% da preferência dos eleitores.

Pesquisa XP-Ipespe para a Prefeitura de São Paulo de 26–27 de outubro

  1. Bruno Covas (PSDB) • 27%
  2. Celso Russomanno (Republicanos) • 22%
  3. Guilherme Boulos (PSol) • 16%
  4. Márcio França (PSB) • 8%
  5. Jilmar Tatto (PT) • 5%
  6. Arthur do Val (Patriota) • 4%
  7. Andrea Matarazzo (PSD) • 3%
  8. Joice Hasselmann (PSL) • 2%

Levy Fidelix (PRTB) e Orlando Silva (PCdoB) têm 1%; Marina Helou (Rede), Vera Lúcia (PSTU), Antônio Carlos Silva (PCO) e Filipe Sabará (Novo) não pontuaram. 10% dos eleitores votam em branco ou anulam, 3% não sabe ou não respondeu.

PT em baixa

Jilmar Tatto (PT), o representante petista desta corrida eleitoral, tem dito em entrevistas que o Partido dos Trabalhadores é um “partido de chegada”. Pode até começar tímido nas pesquisas, mas arranca ao fim da corrida, segundo ele. Entretanto, após um mês de campanha eleitoral, o partido segue pouco atrativo aos eleitores, com apenas 5% da preferência.

No início do mês, rumores dentro do diretório municipal circulavam dizendo que se o candidato não alcançasse dois dígitos até o fim de outubro nas pesquisas, o PT iria cogitar desistir da candidatura e apoiar Guilherme Boulos. A assessoria de Jilmar Tatto disse que os rumores eram completamente improcedentes.

A pesquisa ouviu 800 eleitores nos dias 26 e 27 de Outubro, possui margem de erro de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos e confiança de 95,4%. Está registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o código SP-06526/2020.

Últimas notícias