*
 

Em defesa de sua pré-candidatura à Presidência da República, Henrique Meirelles (MDB) não poupou elogios a si mesmo durante sabatina promovida pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) nesta quarta-feira (4/7). Por cerca de uma hora, ele clamou pelo apoio de empresários do setor.

“Tudo é uma questão de confiança. Temos história para propor tudo que queremos. Eu tenho experiência”, afirmou Meirelles, que durante toda a sua fala fez questão de deixar claro que seu maior ativo eleitoral é justamente a experiência que teve como presidente do Banco Central nos dois mandatos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e como ministro da Fazenda no início do governo de Michel Temer.

“Trabalhei com o presidente Lula e com o presidente Temer no momento que a economia começava a se recuperar. As pessoas verão que eu trabalho para o país”, declarou.

Mais que ganhar o apoio de empresários da Indústria, Meirelles precisa garantir a confiança dentro do próprio partido. Setores do MDB ainda avaliam o lançamento dele à corrida presidencial. O partido realiza convenção para definir seu futuro eleitoral em 31 de julho.

Questionado sobre sua viabilidade, o ex-ministro lembrou que sua candidatura ao Planalto foi questionada até por amigos mais próximos. “Me falaram: ‘De fato, sua experiência é extraordinária, mas seu desempenho em pesquisas está baixo”, disse, completando: “O MDB tem um grande tempo de TV. É o maior partido do país. Certamente vamos mudar esse quadro”.

Na última pesquisa de intenção de voto encomendada pela CNI ao Ibope, divulgada em 28 de junho, Meirelles aparece com apenas 1% das intenções de voto nos cenários com e sem a possibilidade de candidatura do ex-presidente Lula. Leia mais sobre a pesquisa aqui.