Inep destaca bons resultados de cursos a distância

Modalidade responde por 7% dos mais de 8 mil cursos avaliados em índice de qualidade do ensino superior

atualizado 11/12/2019 23:01

Foto: Bruna Aidar

Ao anunciarem os resultados de indicadores de qualidade do ensino superior a jornalistas, o presidente substituto e a coordenadora-geral de Controle de Qualidade da Educação Superior do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Camilo Mussi e Fernanda Marsaro, chamaram atenção para o desempenho dos cursos de Ensino a Distância (EaD). Em todas as faixas de avaliação do Conceito Preliminar de Curso (CPC), a modalidade apresentou resultados semelhantes aos dos presenciais.

O CPC avaliou 8.520 cursos e é medido em uma escala de 1 a 5. Ele considera quatro fatores para classificar os cursos de graduação: o desempenho dos estudantes no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade); a avaliação do corpo docente com base no Censo do Ensino Superior; a percepção dos estudantes sobre o processo de formação, aferida por questionário; e o chamado valor agregado, que avalia o quanto o aluno evoluiu, em termos de conhecimento, com base na nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Em entrevista, Mussi destacou que os EaDs têm apoio do Ministério da Educação (MEC), especialmente por possibilitarem o acesso ao ensino mesmo para quem mora em lugares sem universidades, faculdades ou institutos. “É uma forma de garantir que a educação chegue a todos os pontos do Brasil”, ressaltou.

Embora os números sejam semelhantes, a comparação, entretanto, envolve um contingente muito maior de cursos presenciais: do universo de 8.520 cursos avaliados, 7.957, ou 93%, são deste tipo. Os EaDs avaliados respondem por 7%, ou seja, são 563 deles.

E embora 2018 tenha marcado um “boom” de EaDs, os alunos que agora se matriculam nestes cursos ainda não concluíram as formações e, portanto, não foram avaliados, explica Marsaro. A tendência, segundo os técnicos do Inep, é de que nos próximos anos se tenha um panorama mais amplo dos resultados da modalidade.

De acordo com os dados do Censo a Educação Superior de 2018, foram oferecidas 13,5 milhões de vagas a estudantes, das quais 7,1 milhões foram na modalidade EaD. As presenciais somaram, ao todo, 6,5 milhões. Comparados a 2017, o números praticamente dobraram: naquele ano, foram 4,7 milhões de vagas.

Números
Segundo os dados do CPC, nenhum EaD registrou nota 1. Eles foram a maioria na faixa 5, com 2,7%, o que representa, na prática, 15 cursos. Também foram classificados 31 cursos na faixa 2 (5,5%), 356 na faixa 3 (63,2%), e 161 na faixa 4 (28,6%).

A maioria dos presenciais, 54,2%, ficou classificado na faixa 3, o que representa um total de 4.466 cursos. Somados, são 2.675 cursos nas faixas superiores (32,5%) e 816 nas faixas 1 e 2 (9,9%).

Apresentação Resultados CPC e IGC 2018 by Bruna Aidar on Scribd

Últimas notícias