Produção industrial cresce em julho e se aproxima da marca histórica

Apesar do crescimento, a taxa geradora de empregos nas indústrias continua em queda, terminando o mês em 48,4 pontos

Michael Melo/Metropoles

atualizado 22/08/2019 12:14

A produção industrial no Brasil ganhou força entre os meses de junho e julho e registrou, no mês passado, a maior pontuação desde outubro de 2018. Em julho, o índice subiu 9,6 pontos em relação ao mês anterior e alcançou 53 pontos. O indicador está 5 pontos acima da média histórica, de 48 pontos.

Os dados são da Sondagem Industrial, divulgada nesta quinta-feira (22/08/2019), pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).  A utilização da capacidade instalada (UCI) aumentou em dois pontos percentuais, atingindo 68%, se igualando ao ano anterior. O número é o maior registrado para julho desde 2015.

 

Apesar do crescimento, a taxa geradora de empregos nas indústrias continua em queda, terminando o mês em 48,4 pontos. Acima de 50, interpreta-se que há um indicativo de aumento na geração de emprego. Apesar do baixo registro, o número mostra um avanço em relação ao mês anterior, que registrou 47,2 pontos. Vale ressaltar que o número ficou em 48,5 em todos os meses de julho, desde 2012. As exceções foram os anos de 2014 a 2016, período mais agudo da crise recente.

Já no mês de agosto, as expectativas melhoraram, embora as variações tenham sido pequena. O índice de demanda cresceu pelo terceiro mês consecutivo, e o índice de compras de matérias primas, pelo segundo mês consecutivo, registrando 58,3 e 55,8 pontos, respectivamente. A intenção de investir na indústria brasileira também aumentou neste mês.

O índice quanto ao número de empregados na indústria aumentou 0,2 ponto, passando para 50,8 pontos. Todavia, o índice de expectativa de exportação caiu em 0,4. O número de intenção de investimento aumentou 1,7 ponto na comparação com julho. O indicador é 3,1 pontos maior que o registrado em agosto de 2018 e 4,9 pontos superior à sua média histórica.

Últimas notícias