Médicos peritos não voltam ao trabalho e perícias do INSS são suspensas

Com a abertura prevista para esta segunda-feira, agências em diferentes cidades registraram filas e reclamações

atualizado 14/09/2020 16:02

Fila de pessoas no INSSHugo Barreto/Metrópoles

Depois de mais de cinco meses com as portas fechadas devido à pandemia do novo coronavírus, o Instituto Nacional do Seguro Social retomou, nesta segunda-feira (14/9), o atendimento presencial em parte das agências.

Médicos peritos, no entanto, não retomaram as atividades em diversas cidades e, com isso, perícias médicas agendadas foram suspensas. Segundo o INSS, os segurados precisam fazer a remarcação pelo Meu INSS ou pelo telefone 135.

A Associação Nacional dos Peritos Médicos Federais informou que a categoria decidiu não retomar as atividades presenciais após apenas 12 agências, das mais de 800 com serviço de perícia, terem sido aprovadas em vistorias realizadas pela entidade. Em diversos locais do país, a reabertura está acompanhada de filas e reclamações.

 

No estado de São Paulo, uma decisão judicial impediu a retomada do atendimento presencial a pedido do Sindicato dos Trabalhadores do INSS. Em nota, o instituto informou que as agências seguirão fechadas após a sentença e que “os segurados que tinham agendado atendimento devem desconsiderar e proceder com a remarcação pelo Meu INSS ou pelo telefone 135”.

No Rio, peritos médicos não compareceram ao trabalho, e o serviço – mesmo para os segurados agendados – foi suspenso.

Em nota, o INSS disse que esta segunda-feira será um dia muito sensível para servidores e segurados. “Permanecemos quase seis meses sem atendimento presencial. Assim, o INSS entendeu que não seria adequado acrescentar mais esse compromisso num dia-chave para a instituição e a população. Sentimos muito por cancelar a entrevista, mas nos colocamos à disposição para reagendá-la para terça (15/9) ou quarta-feira (16/9)”, diz trecho da nota.

Distrito Federal

No primeiro dia de reabertura das agências no Distrito Federal, o movimento foi menos intenso. O horário de funcionamento foi reduzido, entre 7h e 13h. No entanto, algumas pessoas que estavam sem agendamento não conseguiram ser atendidas.

Na agência da 502, na W3 Sul, foi possível medir o movimento pelo comércio próximo, que não teve a costumeira procura. “As pessoas vêm aqui fazer cópias de documentos e tirar dúvidas e, por causa da demora, costumam lanchar”, conta Everardo Braga, dono da banca que fica ao lado da agência do INSS e advogado. “Mas hoje, o movimento foi bem fraco, poucas pessoas vieram”, lamenta.

Ivonilde de Almeida, de 75 anos, foi sozinha à agência e, sem o agendamento, não pôde entrar. Ela conseguiu uma ajuda de Braga sobre atualização cadastral. Por lá também não foram realizadas as perícias médicas devido aos profissionais que não retomaram o trabalho.

Retomada

O atendimento presencial na primeira etapa ocorre apenas para os segurados agendados. Uma portaria publicada na sexta-feira (11/9) no Diário Oficial da União estabeleceu as medidas de prevenção que devem ser tomadas para a reabertura. O uso de máscaras e a medição de temperatura são obrigatórios.

De acordo com o INSS, as agências maiores, que respondem por aproximadamente 70% da demanda, foram reabertas. O horário de funcionamento é das 7h às 13h.

“Serão priorizados nesta primeira fase serviços de perícia médica, avaliação social, cumprimento de exigência, justificação administrativa e reabilitação profissional”, informou o Ministério da Economia, em nota. As perícias foram suspensas nesta segunda-feira.

O serviço somente será feito com agendamento prévio, que deve ser feito pelo Meu INSS ou pelo telefone 135. As agências estão abertas para: perícia médica, avaliação social, cumprimento de exigência, justificação administrativa ou judicial e reabilitação profissional.

Pedidos de aposentadoria, pensão, salário-maternidade continuam sendo feitos remotamente. (Com informações do G1)

Últimas notícias