IBGE: desemprego cai para 12%. Índice no DF é maior do que o nacional

O número de pessoas sem ocupação recuou em 10 das 27 unidades da Federação. Nas demais, permaneceu estável

VALDECIR GALOR/SMCSVALDECIR GALOR/SMCS

atualizado 15/08/2019 11:16

A taxa de desemprego caiu 0,7 pontos percentuais (p.p.) no segundo trimestre de 2019, se comparado aos três primeiros meses. O índice de desocupação ficou em 12% segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira (15/08/2019).

O número também é 0,4 p.p. menor se levado em conta o mesmo período de 2018. O Distrito Federal, no entanto, ficou com uma taxa de desempregados acima da nacional: 13,7%. No segundo trimestre deste ano, o DF teve um aumento no número de pessoas sem emprego em relação ao mesmo período de 2018. A taxa subiu 1,5 p.p.

Reprodução/IBGE

O desemprego recuou em 10 das 27 unidades da Federação. Nas demais, de acordo com o IBGE, permaneceu estável. O Acre teve a maior queda: -4,4 p.p.

Bahia (17,3%), Amapá (16,9%) e Pernambuco (16%) tiveram as maiores taxas de desemprego. Santa Catarina (65%), Rondônia (6,7%) e Rio Grande do Sul (8,2%) são os estados com menos desocupados.

Em relação aos brasileiros empregados, mas sem carteira de trabalho assinada no setor privado, a taxa ficou em 25,7%. Os estados com os maiores percentuais são Maranhão (49,7%), Piauí (48%) e Pará (47,3%). A menor ficou com Santa Catarina (12,4%).

A quantidade de brasileiros considerados pelo IBGE como desalentados atingiu 4,9 milhões no segundo trimestre. Os maiores índices estão na Bahia (766 mil pessoas) e Maranhão (588 mil).

Últimas notícias