Em crise, Credit Suisse tem saques de R$ 474 bilhões em um mês

Em um único dia, Credit Suisse perdeu mais de US$ 550 milhões (R$ 2,9 bilhões) em valor; crise é uma das maiores já enfrentadas pelo banco

atualizado 24/11/2022 11:09

Imagem colorida do banco Credit Suisse Reprodução

Enfrentando uma crise de confiança que vem preocupando investidores no Brasil e no mundo, o Credit Suisse registrou retiradas de US$ 88 bilhões (o equivalente a R$ 474,5 bilhões) em pouco mais de um mês.

No Brasil, segundo dados da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), os fundos do Credit Suisse – direcionados a clientes de alta renda – tiveram resgates líquidos de R$ 4,5 bilhões apenas em outubro.

Desde o início de outubro, há rumores no mercado de que o Credit Suisse pode não conseguir honrar seus compromissos financeiros. A crise na instituição se tornou tema importante no noticiário econômico e também ganhou as redes sociais.

Na quarta-feira (23/11), o banco suíço anunciou que pode amargar um prejuízo bilionário no quarto trimestre deste ano, justamente por causa da saída de recursos. Caso se confirme, será o quinto resultado trimestral negativo consecutivo da instituição financeira.

Segundo o Credit Suisse, o prejuízo pode chegar a US$ 1,58 bilhão entre outubro e dezembro (cerca de R$ 8,5 bilhões).

A crise pela qual passa o banco já é considerada uma das maiores de sua história. A gestora Credit Suisse Hedging-Griffo (CSHG), controlada pelo Credit, vem perdendo fundos para outros bancos e gestoras.

Ações despencam

Após o anúncio do Credit Suisse, as ações do banco sofreram um tombo de 5% na Bolsa de Zurique e encerraram o dia nas mínimas históricas.

Em Nova York, os depósitos de ações do banco (ADRs) tiveram perdas maiores do que 6%. Em um único dia, o Credit perdeu mais de US$ 550 milhões (R$ 2,9 bilhões) em valor.

Mais lidas
Últimas notícias