Caixa deposita nesta 2ª saque emergencial do FGTS aos nascidos em março

Neste primeiro momento, é possível fazer o uso digital do valor. Saque estará disponível para esse grupo a partir do dia 22 de agosto

atualizado 13/07/2020 9:06

Raimundo Sampaio/Esp. Metrópoles

A Caixa Econômica Federal deposita nesta segunda-feira (13/7) o saque emergencial do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) aos trabalhadores nascidos em março.

O dinheiro, que pode chegar a R$ 1.045, estará disponível na conta Poupança Social criada pelo banco aos 60 milhões de brasileiros que vão receber o FGTS. Movimentações devem ser feitas pelo aplicativo Caixa Tem.

Neste primeiro momento, é possível fazer somente o uso digital do valor, como pagar boletos e contas de energia, água e telefone, por exemplo. Veja aqui outras funcionalidades.

Para esse grupo de trabalhadores, saques e transferências do FGTS estarão disponíveis apenas a partir do próximo dia 22 de agosto.

Cronograma

O calendário de pagamento está organizado de acordo com a data de nascimento. Nas últimas duas semanas, receberam os trabalhadores nascidos em janeiro e fevereiro.

O dinheiro vai ser liberado toda segunda-feira. Já as opções de saque e transferência estarão disponíveis a partir do próximo dia 25 de julho. Veja o calendário:

Calendário do saque emergencial do FGTS
Calendário do saque emergencial do FGTS
Como antecipar

Apesar da limitação imposta pela Caixa Econômica nas opções de saque e transferência, é possível driblar (sempre de maneira legal) essa restrição por meio de bancos digitais.

Para isso, é preciso gerar um boleto no seu nome em um dessas empresas de tecnologia financeira (veja aqui o passo a passo). Como o aplicativo Caixa Tem permite o pagamento de boletos, o dinheiro será transferido para uma outra conta.

Vale a pena sacar?

Caso a pessoa decida não sacar, o dinheiro vai voltar para a conta do FGTS devidamente corrigido e sem nenhum prejuízo ao trabalhador, segundo a Caixa Econômica.

Mas, afinal, quando essa opção é viável? O coordenador do MBA de gestão financeira da FGV, Ricardo Teixeira, explica que o FGTS está hoje entre os investimentos conservadores mais rentáveis.

Por isso, o especialista em finanças pessoais avalia como interessante a escolha por deixar o dinheiro no fundo caso o trabalhador não esteja precisando.

“Deixar esse dinheiro agora pode ser uma boa aplicação conservadora, inclusive rendendo mais do que outras”, comenta o especialista.

0

Últimas notícias