Doria recua e diz que enviará vacinas ao Amazonas no fim do mês

Envio estava suspenso desde o dia 10/2, porque governo paulista tinha considerado a imunização no Amazonas "sem planejamento"

atualizado 11/02/2021 16:56

vacinação de idosos acima de 90 anos em SP6Fábio Vieira/Metrópoles

São Paulo – O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), declarou na tarde desta quinta-feira (11/2) que enviará 50 mil doses da vacina Coronavac ao governo do Amazonas no fim de fevereiro, “com a garantia das autoridades de que as vacinas vão chegar até quem mais precisa”.

Com a declaração de Doria, o governo paulista recua na decisão de suspender o envio dos imunizantes, tomada na quarta-feira (10/2).

Segundo a nota oficial do governo do estado de São Paulo, do dia 10 de fevereiro, a decisão pela suspensão temporária ocorreu porque o plano de imunização no Amazonas estava “sem planejamento”.

“Diante de fatos reconhecidamente públicos e de até mesmo suspensão pela própria Justiça da imunização naquele estado devido à falta de planejamento e controle, São Paulo suspendeu o envio de imediato e aguarda a manifestação e apresentação de cronograma estadual de imunização do Amazonas”, afirmava nota oficial de São Paulo.

A notícia frustrou a opinião pública amazonense. João Doria chegou a recebeu pedido de Grace Benayon, presidente da seção amazonense da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), para repensar a decisão.

“Houve uma promessa que até agora não foi cumprida, e essa postura de recuar não está ajudando o nosso estado, conforme prometido. Precisamos salvar inúmeras vidas, salvar o comércio, a indústria e queremos saber quando essas vacinas vão chegar”, declarou Benayon.

Após negociações entre autoridades paulistas e amazonenses, a situação mudou na tarde desta quinta-feira (11/2).

0
Sem mediação do Ministério da Saúde

“Ressalto que essas vacinas não sairão da entrega destinada ao Ministério da Saúde. E sim representam uma doação de São Paulo ao povo do Amazonas. São Paulo está ao lado do Brasil para vencer a pandemia”, afirmou Doria ao anunciar o fim da suspensão e retomar sua promessa.

Há mais de três semanas, no dia 17 de janeiro, Doria afirmou que “no dia seguinte” remeteria 50 mil doses de vacinas Coronavac para minimizar a crise no estado do Amazonas.

“Amanhã pela manhã, um avião levará 50 mil doses da vacina, independentemente da cota do Ministério da Saúde, para os profissionais da saúde do Amazonas”, afirmou Doria, justificando que a doação era direta porque ele “não confiava no Ministério da Saúde.”

Últimas notícias