Vacinação é suspensa em Manaus por suspeitas de irregularidades

Ministério Público do Amazonas investiga se a fila de grupos prioritários está sendo "furada" por pessoas que não atendem aos critérios

atualizado 21/01/2021 13:15

vacina sendo injetadaFábio Vieira/Metrópoles

A vacinação contra a Covid-19 foi suspensa em Manaus (AM) nesta quinta-feira (21/1), depois de o Ministério Público do Amazonas abrir investigação sobre possíveis irregularidades na aplicação da vacina, com pessoas “furando a fila” de grupos prioritários. A previsão é de que seja retomada na sexta (22/1).

Depois que parentes de empresários locais postaram fotos em redes sociais comemorando porque foram vacinados, denúncias foram feitas acusando essas pessoas de “furar a fila”.

A Prefeitura de Manaus informou, na noite dessa quarta (20/1), que a vacinação foi suspensa para que o governo possa replanejar a distribuição a distribuição de doses, “com os critérios de definição de prioridades, baseados na exposição ao risco, comorbidades e faixa etária”.

De acordo com a secretária municipal de Saúde, Shádia Fraxe, a suspensão deve ser mantida por menos de 24 horas, uma vez que o prazo para que o governo divulgue a proposta de reordenamento da imunização com a lista dos trabalhadores a serem vacinados, por unidade, se encerra às 13h desta quinta-feira.

“A Prefeitura de Manaus é a responsável pela execução da campanha de vacinação e, conforme as orientações do prefeito David Almeida, organizou 200 profissionais que compõem 50 equipes de vacinação. No entanto, a definição dos locais e quais profissionais da saúde a serem vacinados em cada unidade da rede estadual é responsabilidade do governo do estado”, explica Shádia.

0

Antes, a Secretaria do Amazonas havia divulgado que a responsabilidade pela campanha era das prefeituras e que não era responsável por definir as pessoas que receberão as doses, apenas entregava o imunizante aos municípios.

A secretária também destacou que recebeu vacinas para apenas 34% dos 56 mil profissionais de saúde, de governo e prefeituras. Sendo assim, será necessário estabelecer quais as preferências dentro dos grupos prioritários.

“Como a prefeitura trabalha essencialmente com atenção básica, definimos que as unidades contempladas com a vacina, pelo critério de risco, seriam as de atendimento exclusivo a casos suspeitos de Covid-19 e outras síndromes gripais, determinando a vacinação de todos os trabalhadores que têm contato direto com o paciente e deixando de fora os que realizam apenas serviços administrativos, sem contato com os usuários”, conclui.

Segundo a prefeitura, foram recebidas 40.072 doses de vacina para esta primeira etapa da campanha.

Irmãs que teriam furado a fila

A principal denúncia de irregularidade se dá no caso das médicas Gabrielle e Isabelle Kirk Maddy Lins que receberam a primeira dose da vacina nessa terça-feira (19/1).

As irmãs foram nomeadas, respectivamente, nessa segunda (18/1) e terça-feira (19/1) como gerentes de projetos na Secretaria de Saúde. As nomeações foram assinadas pelo prefeito de Manaus, David Almeida (Avante).

Gabrielle e Isabelle são filhas de Gisélle Vilela Lins Maranhão, reitora da Universidade Nilton Lins, que fica ao lado da UBS Nilton Lins, onde as jovens trabalham. A unidade de saúde foi inaugurada no último dia 12 de janeiro – e o nome da unidade homenageia o pai das jovens.

 

Últimas notícias