Doria cobra do governo federal exigência de vacinação em aeroportos

Governo de SP enviou ofício ao Ministério da Saúde, considerando que o Aeroporto de Guarulhos recebe maior parte dos voos internacionais

atualizado 08/12/2021 13:24

Fábio Vieira/Metrópoles

São Paulo – O governo de São Paulo encaminhou ofício ao Ministério da Saúde nesta quarta (8/12) cobrando a adoção da exigência da vacinação contra a Covid-19 para pessoas que chegam ao Brasil por meio de aeroportos.

O governador João Doria (PSDB) afirmou que não há razão para que o governo federal não adote o “passaporte da vacina” para viajantes, e ressaltou que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) faz essa recomendação desde o mês passado.

“É um procedimento equivalente ao que outros países têm feito, esta é a forma correta de agir e de estabelecer procedimentos que a saúde recomenda. Temos o maior porto da América Latina e o maior Aeroporto do Brasil, São Paulo é a principal entrada de estrangeiros, recebe mais de um terço dos voos internacionais que chegam ao Brasil”, afirmou.

“Não há razão para o governo federal negar ou não avançar no passaporte vacinal, exceto se por razão política ou ideológica, razão de saúde não há”, acrescentou Doria.

Os três primeiros casos da variante Ômicron da Covid-19 do Brasil foram registrados em São Paulo, de três pessoas que chegaram ao país pelo Aeroporto Internacional de Guarulhos. Os dois primeiros vieram da África do Sul, e o terceiro, da Etiópia. Os três são brasileiros.

O secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, reafirmou que é necessário adotar o passaporte da vacina de forma imediata. “Só desta maneira poderemos fazer um controle adequado das nossas fronteiras, impedindo que haja ingresso de novas variantes”, ponderou.

“Precisamos de medidas de controle de acesso dos viajantes que para cá acabam ingressando, com a exigência de comprovação de vacinação completa, assim como a necessidade, na origem, da realização das testagens”, cobrou.

 

Mais lidas
Últimas notícias