Coronavírus: proibido há 18 anos, álcool líquido 70% será vendido

Restrito a laboratórios e hospitais, produto é altamente inflamável. Medida é para evitar desabastecimento de materiais antissépticos

atualizado 20/03/2020 14:32

Michael Melo/Metrópoles

Afastado desde 2002 das prateleiras dos supermercados, o álcool líquido 70% voltará a ser comercializado. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou nesta sexta-feira (20/03) a comercialização do produto.

A agência entendeu que a medida é importante para evitar o desabastecimento de produtos antissépticos que podem ser usados contra o coronavírus, causador da Covid-19.

Esse tipo de álcool teve a venda restringida há 18 anos para laboratórios e hospitais, por exemplo. À época, o volume de acidentes motivou a proibição e livre comércio. O produto é altamente inflamável.

Esta é a segunda medida do órgão para evitar desabastecimento de produtos antissépticos.

A Anvisa redefiniu os critérios e procedimentos para a produção de álcool em gel e liberou a fabricação para diversas empresas por 180 dias.

A resolução foi publicada nesta sexta-feira (20/03) no Diário Oficial da União (DOU).

“Fica permitida de forma temporária e emergencial, sem prévia autorização da Anvisa, a fabricação e comercialização das preparações antissépticas ou sanitizantes oficinais”, destaca o documento.

Últimas notícias