Casos de Covid-19 caem 50% em Serrana, cidade mais vacinada de SP

Há 26 dias, Santa Casa e UPA não registram moradores da cidade com Covid-19. 14 pacientes estão sob observação em hospital estadual

atualizado 23/04/2021 15:58

Hospital Estadual de Serrana, Serrana (SP) - Cidade conta com um hospital de referência de tratamento de Covid-19Fábio Vieira/Metrópoles

São Paulo – A Secretaria de Saúde do município de Serrana (SP) informou, nesta sexta-feira (23/4), que caiu pela metade o número de diagnósticos de Covid-19 na cidade, na comparação entre os dados referentes aos meses de abril e março deste ano.

A cidade, situada na região metropolitana de Ribeirão Preto, é objeto de estudo sobre os impactos da vacinação em massa contra a Covid-19, com a fórmula Coronavac.

Nos primeiros 21 dias de março, foram notificados 331 serranenses diagnosticados com Covid-19. Já nas primeiras três semanas de abril, com o fim da fase de vacinação em massa do Projeto S, o número de diagnósticos caiu para 164, o que equivale a uma diminuição de 50%.

Ainda segundo o órgão municipal, a unidade de pronto atendimento (UPA) da cidade e a Santa Casa de Serrana não registram internação de serranenses por Covid-19 há 26 dias. A fila para tratamento em UTI segue zerada.

Metrópoles apurou que, no dia 21 de abril, no Hospital Estadual de Serrana, havia 14 moradores internados – sete em enfermaria e sete em UTI. Detalhes sobre essas internações não foram disponibilizados para a imprensa.

Os médicos analisam o histórico dos pacientes, que podem não ter tomado a vacina ou desenvolvido anticorpos antes da exposição ao vírus.

O Projeto S, que consiste em uma investigação científica idealizada e promovida pelo Instituto Butantan, imunizou 27.150 voluntários na cidade de 45.644 habitantes. Junto ao Programa de Imunização, Serrana já tem 65% da população vacinada, tornando-se a cidade recordista em imunização em todo o estado.

O objetivo do Projeto S é estudar como ocorre a imunização contra a Covid-19 na “vida real”, e avaliar a duração deste processo. Os primeiros resultados da pesquisa serão divulgados pelo Instituto Butantan em maio. O estudo segue na cidade até fevereiro de 2022.

0

 

Últimas notícias