Caso Neymar: Justiça nega pedido de desarquivamento do inquérito

A juíza do caso explicou que a solicitação não atendia aos critérios legais necessários para reabertura do caso

ReproduçãoReprodução

atualizado 22/08/2019 14:51

A Justiça negou o pedido de Najila Trindade para retomar o inquérito policial que investigava a acusação de estupro contra Neymar. De acordo com a  juíza Ana Paula Gomes Galvão Vieira de Moraes, que responde pelo Ministério Público, não houve nenhum tipo de “irregularidade ou impedimento” da decisão de arquivamento.

Além disso, a magistrada pontuou que a solicitação não atendia aos critérios legais necessários. “O desarquivamento só se faz possível com base em novas provas”, explicou. Para a juíza, o advogado da modelo, Cosme Araújo, tentou rediscutir as provas. O pedido também foi recusado pela juíza da Vara de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher da Regional Sul 2.

A defesa pediu a retomada das diligências e a avaliação das imagens do hotel no qual Najila se hospedou em Paris. O advogado também reclamou de que a delegada teria aproveitado depoimento do ex-marido da modelo, que é investigado por furto e tentativa de extorsão em outra delegacia.

“A análise da valoração do depoimento da vítima foi feita, devidamente, pelo titular da ação penal, sendo o entendimento acolhido por este Juízo quando da decisão de homologação do arquivamento. Entendo desnecessária as demais diligências requeridas pela vítima”, indicou a juíza em um trecho da decisão.

Últimas notícias