*
 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva permanece, nesta sexta-feira (6/4), na sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP), onde passou a noite. Apoiadores do petista fazem uma vigília no local desde o anúncio do pedido de prisão contra o petista. Por volta de 2h30, o ex-sindicalista acenou da janela para as centenas de pessoas que tomam os arredores da entidade. Na rua, os remanescentes da vigília cantaram: “Lula na veia, Moro na cadeia”.

Os filhos do petista também estão na sede do sindicato. Até o momento, Lula não informou se pretende render-se no prazo determinado pelo juiz Sérgio Moro, aguardar o cumprimento do mandado de prisão ou resistir. O ex-presidente tem até as 17h  para se entregar à Polícia Federal em Curitiba (PR), de acordo com o pedido de prisão.

Ele não discursou no carro de som durante o ato de quarta à noite; apenas acenou algumas vezes pela janela e desceu para cumprimentar alguns aliados.

Às 5h34, os apoiadores de Lula chegaram a atacar fotógrafos e pessoas que estavam filmando em frente ao local. Cerca de 15 minutos depois, o sindicato fechou as portas para evitar agressão à impressa por parte de um grupo de manifestantes.

Enquanto se prepara para descansar na residência localizada no próprio município, o ex-presidente está recebendo o apoio de políticos e admiradores na sede do sindicato.

Prisão
Lula foi condenado a 12 anos e 1 mês de prisão no processo do caso triplex do Guarujá. Na madrugada de quinta (5), o petista sofreu revés no Supremo Tribunal Federal (STF). A Corte negou habeas corpus preventivo impetrado para que o ex-chefe do Executivo pudesse recorrer em liberdade até a última instância contra a sentença na Lava Jato. (Com informações da Agência Estado e Agência Brasil)

 

 

COMENTE

Sindicatolulaprisãoprisão de Lula
comunicar erro à redação

Leia mais: Brasil