Caiado cobra bom senso e incentiva denúncias de fura-fila da vacina em Goiás

Governador diz que autoridade não pode se aproveitar do cargo ocupado para se vacinar antes dos grupos prioritários, como os mais idosos

atualizado 07/02/2021 14:31

Governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), e secretário de saúde Ismael AlexandrinoVinicius Schmidt/Metrópoles

Goiânia – O governador de Goiás Ronaldo Caiado (DEM) incentivou, neste domingo (7/2), as denúncias contra os casos de fura-fila da vacina de Covid-19 e cobrou bom senso, principalmente de autoridades públicas, para que ninguém fure a programação de vacinação. Ele repercutiu ainda o caso do secretário de saúde de Nova Veneza, que tem 59 anos e foi imunizado antes de uma longa fila de idosos no município. O caso foi revelado pelo Metrópoles.

“É isso que precisamos buscar, esse bom senso. A pessoa ter uma condição que faz parte da estrutura do município e de repente querer sobrepor a outros que tenham a prioridade neste momento…”, disse, destacando que isso não pode acontecer e que a população e a imprensa têm que denunciar e cobrar.

Segundo Caiado, a exposição destes casos é fundamental “para que as pessoas sejam constrangidas e que amanhã tenham que responder ao Ministério Público e também à Polícia Civil pela prática criminosa ao tomar a vacina fora da sua faixa etária ou [fora] da condicionante”, reforçou.

O governador explicou que, além dos idosos e de grupos pré-definidos pela campanha nacional e estadual de vacinação, apenas quem está de fato na linha de frente de combate à doença é que tem prioridade na vacinação. “A pessoa está na frente de luta do combate à Covid? Ele está exatamente na frente de ação nos hospitais e ambulatórios especificamente da Covid? Esses são os prioritários. Fora disso, não é prioritário”, acrescentou.

Caiado ainda destacou que é preciso seguir o regramento único a respeito da vacinação contra a Covid-19 e não começar a abrir exceções. “Pois senão cada corporação vai achar uma explicação do porquê da urgência dela. Não temos que criar situações paralelas”, destaca.

O governador goiano falou sobre o caso quando recebeu, na manhã deste domingo (7/2), uma nova remessa de vacinas Coronavac, da farmacêutica chinesa Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo. O lote para Goiás é de 77,8 mil doses que deverão começar a ser aplicadas ainda nesta segunda-feira (8/2) na população mais idosa.

0
Nova Veneza

O Metrópoles revelou o caso do secretário de saúde de Nova Veneza, a 33 quilômetros de Goiânia, Deijar José do Carmo, de 59 anos, que recebeu a primeira dose de vacina contra Covid-19 mesmo sem estar entre as prioridades e grupos de risco definidos pelos planos nacional e estadual de imunização.

O fato causou revolta na população da cidade. A revolta faz sentido. Deijar foi vacinado antes de mais de mil idosos, a partir de 60 anos, que ainda aguardam pela vacina na cidade, segundo dados da própria Coordenação de Vigilância Epidemiológica municipal. Destes, são nada menos do que 264 pessoas com mais de 80 anos.

O ato está sendo investigado pelo Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO) ao lado de vários outros no estado. A vacinação do secretário, inclusive, foi filmada e acompanhada pelo prefeito Valdemar Batista Costa (DEM), colega de partido de Caiado, que aplaude o momento, conforme vídeo ao qual o Metrópoles teve acesso (veja abaixo).

 

Últimas notícias