Brasil e Uruguai trabalharão juntos por acordo Mercosul-UE, diz Vieira

Chanceler do Uruguai, Francisco Bustillo, está em Brasília nesta terça-feira (7). Países anunciaram obras de infraestrutura e integração

atualizado 07/03/2023 16:07

chanceleres dão aperto de mão no Itamaraty - Metrópoles Ana Flávia Castro/Metrópoles

Após reunião com o chanceler do Uruguai, Francisco Bustillo, o ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, reafirmou que os dois países trabalharão juntos na negociação do acordo entre o Mercosul e a União Europeia. O embaixador uruguaio está em Brasília, nesta terça-feira (7/3), para reuniões com o governo brasileiro.

Em declaração à imprensa após o encontro no Palácio do Itamaraty, Vieira reiterou que os dois países concordaram em “aprofundar a relação intrabloco e buscar ampliação da rede de acordos externos”, e que eles têm a “responsabilidade de impulsionar o atual processo de modernização do Mercosul”.

“Precisamos de um Mercosul que beneficie as nossas sociedades e seja aberto ao mundo”, declarou Vieira. “Entendemos que há espaço para trabalharmos juntos nessa agenda externa do bloco, em busca de uma melhor inserção internacional dos nossos países. Nesse sentido trabalharemos juntos na negociação acordo Mercosul e União Europeia”, afirmou.

A declaração ocorre em meio às tentativas do governo brasileiro de frear um possível acordo de livre comércio entre o Uruguai e a China. A avaliação no MRE é que o possível acordo entre uruguaios e chineses abalaria o Mercosul, pois colocaria em xeque a Tarifa Externa Comum usada pelos países do bloco para transações entre si.

“Trabalharemos ativamente em busca de acordos comerciais equilibrados em outros blocos e países e em questões centrais como eliminação de barreiras ao comércio, melhoria da infraestrutura e fomento do desenvolvimento sustentável”, prosseguiu Vieira.

Lula cita Mercosul e diz que países precisam trabalhar em “conjunto”

O chanceler uruguaio se reuniu, na manhã desta terça-feira (7), com os ministros Fernando Haddad (Fazenda), Mauro Vieira (Relações Exteriores), Renan Filho (Transportes) e Márcio França (Portos e Aeroportos).

Do lado uruguaio, além de Bustillo, participaram do encontro a ministra de Economia e Finanças, Azucena Arbeleche, e o ministro de Transportes e Obras Públicas, José Luiz Falero.

Construção de hidrovia

Após o encontro, os chanceleres anunciaram que os governos do Brasil e do Uruguai criarão um grupo de trabalho binacional, para avançar em projetos de logística firmados no encontro. Foram anunciadas duas licitações e um cronograma de ações de integração de infraestrutura entre os dois países.

O Ministério de Portos e Aeroportos brasileiro lançará, nas próximas semanas, uma licitação para tirar do papel o projeto de contrução da hidrovia Brasil-Uruguai.

A iniciativa visa uma integração garanta a livre circulação de embarcações no escoamento de cargas pelo Porto do Rio Grande (RS). A proposta é que as obras comecem ainda este ano.

Além da hidrovia, também foi firmado um acordo para uma segunda licitação, focada na construção de uma ponta sobre o rio Jaguarão, que ligará as cidades de Jaguarão (RS), no Brasil, e de Rio Branco, no Uruguai.

As delegações também definiram um cronograma para a binacionalização do Aeroporto Internacional de Rivera, no Uruguai, próximo à fronteira com a brasileira Santana do Livramento (RS).

Mais lidas
Últimas notícias