Bombeiros apagam incêndio em mata na região da Chapada dos Veadeiros

Chamas duraram três dias em mata na cidade de Cavalcante, no nordeste de Goiás. Segundo bombeiros, nenhum animal morreu

atualizado 18/09/2022 14:21

Chamas atingem propriedade rural de Cavalcante, na Chapada dos Veadeiros, Goiás Foto: reprodução/Corpo de Bombeiros de Goiás

O Corpo de Bombeiros informou que conseguiu combater, na noite de sábado (17/9), o incêndio iniciado há três dias em uma mata na zona rural de Cavalcante, na região da Chapada dos Veadeiros, no nordeste de Goiás. De acordo com a corporação, nenhum animal morreu.

Segundo o Corpo de Bombeiros, a identificação do tamanho da área queimada será realizada na segunda-feira (19/9). As chamas começaram na quarta (14).

Chapada dos Veadeiros vive colapso com boom de ocupações desordenadas

O fogo não atingiu a área específica do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, considerado Patrimônio Natural da Humanidade. A cidade fica na região conhecida pela população com o mesmo nome do parque.

A tenente Vanessa Furquim, coordenadora da força-tarefa dos bombeiros na cidade, disse que a equipe demorou três dias para combater as chamar porque os focos “eram muitos”.

“Houve dificuldade para alcançar os focos de incêndio. O acesso também estava ruim, deixamos as viaturas em um local e seguimos a pé, lá tem muita árvore e cipós”, afirmou a tenente.

O fogo, segundo ela, subiu em direção a uma área de morro, o que dificultou o acesso direto ao local. Os bombeiros estão mantendo equipes fixas na região, desde julho, devido à possibilidade de grandes queimadas neste período de estiagem e calor intenso.

A tenente chegou a gravar um vídeo durante a operação de combate ao incêndio em Cavalcante.

Veja vídeo abaixo:

Para apagar o fogo, foram necessários seis brigadistas e cinco bombeiros militares. Segundo a tenente, a equipe usou sopradores e bombas de água.

Fim de semana

No último fim de semana, o fogo também atingiu áreas na mesma região, tanto em Cavalcante quanto em Teresina de Goiás. Os focos foram controlados com a interferência de brigadistas e bombeiros.

Apesar de o cenário atual ser melhor do que o do ano passado, quando a Chapada enfrentou grande quantidade de focos de incêndio, Vanessa Furquim destaca a necessidade de manter o alerta e a conscientização da população.

Mais lidas
Últimas notícias