Bolsonaro vai mudar “genitor” para “pai e mãe” em passaporte infantil

À bancada evangélica, o presidente também anunciou que vai se candidatar ao conselho de Direitos Humanos da ONU

Marcos Corrêa/PRMarcos Corrêa/PR

atualizado 11/07/2019 13:26

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse, nesta quinta-feira (11/07/2019), que pretende excluir os termos “genitor 1 e genitor 2”, presentes no passaporte brasileiro de crianças. No lugar, ele quer inserir os termos “pai e mãe”. O objetivo do chefe do Executivo, segundo ele mesmo destacou, é inserir menções que fazem referência ao gênero dos pais em documentos oficiais e fortalecer as estruturas familiares tradicionais.

“No nosso Itamaraty aqui, que tem à frente o embaixador Ernesto Araújo, estamos acabando com essa história de genitor 1 e 2 em nossos passaportes. Estamos botando os termos pai e mãe”, disse, durante café da manhã com a bancada evangélica no Palácio do Planalto.

Ainda, ele contou que vai concorrer à candidatura da vaga no conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU). “Nós estamos disputando na ONU nossa candidatura à reeleição no conselho de Direitos Humanos e nossa pauta é baseada no fortalecimento das estruturas familiares e a exclusão das menções de gênero“, completou.

Atualmente, na ficha de requerimento do passaporte no site da Polícia Federal, há a categoria de “filiação 1 e filiação 2” para os adultos que desejam emitir o documento. Porém, na ala de preenchimento do formulário do passaporte para crianças, ao invés dos termos “pai e mãe”, há o espaço “genitor 1 e genitor 2”, com a possibilidade de escolha do sexo de cada um.

Últimas notícias