Mesmo com vitória, Bolsonaro segue com articulação pela Previdência

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) começou o dia em café da manhã parlamentares evangélicos e vai se reunir com Centrão e base do governo

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 11/07/2019 10:13

Apesar da vitória do governo com a aprovação da reforma da Previdência no primeiro turno na Câmara, nessa quarta-feira (10/07/2019), os trabalhos de articulação entre do Executivo com o Legislativo não terminaram. Na manhã seguinte à votação, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) recebeu parlamentares da bancada evangélica para um café da manhã no Palácio do Planalto.

Os evangélicos foram uma das principais fontes de apoio a Bolsonaro durante as eleições presidenciais, mas, nos primeiros seis meses de governo, o chefe do Executivo tomou iniciativas que desagradaram o grupo, como no caso do decreto de armas, além da afinidade do presidente com o professor de filosofia online Olavo de Carvalho.

Nesse contexto, precisando de votos para aprovação da reforma no primeiro e segundo turno da Câmara, além dos trâmites no Senado Federal, Bolsonaro tem retomado a aproximação com a bancada e, consequentemente, com os fiéis, uma vez que os níveis de aprovação do presidente têm caído segundo o Ibope e o Datafolha.

Antes de o texto-base da Previdência ir a plenário nessa quarta, Bolsonaro participou de um culto religioso no Congresso e prometeu indicar um ministro “terrivelmente evangélico” ao Supremo Tribunal Federal. Além disso, ele tem marcado presença em conferências da Igreja Católica.

Ao longo do dia em que destaques da Previdência vão ser votados pelo plenário da Câmara, Bolsonaro se reunirá com parlamentes da base e do Centrão para garantir o alinhamento com o governo. Nesta quinta-feira (11/07/2019), o chefe do Executivo tem reuniões agendadas com os deputados Zé Silva (SD-MG) e Caroline de Tone (PSL-SC) e com o senador Luis Carlos Heinze (PP-RS).

Últimas notícias