Bolsonaro se solidariza com podcaster antivax: “Mantenha-se firme”

Joe Rogan, da plataforma de streaming Spotify, é alvo de críticas por conta de posicionamentos negacionistas e disseminação de fake news

atualizado 02/02/2022 23:02

Joe RoganReprodução

O presidente Jair Bolsonaro (PL) resolveu sair em defesa de Joe Rogan (foto em destaque), podcaster antivax do Spotify, famoso por compartilhar informações falsas sobre as vacinas contra a Covid -19.

Nesta quarta-feira (2/2), Bolsonaro foi às redes sociais para, em inglês, se solidarizar com Rogan, alvo de críticas por conta de seus posicionamentos negacionistas e disseminação de fake news.

“Não tenho certeza do que Joe Rogan pensa sobrem mim ou meu governo, mas não importa. Se liberdade de expressão significa alguma coisa, é que as pessoas devem ser livres para dizer o que pensam, não importa se concordam ou discordam de nós. Mantenha-se firme. Abraços do Brasil”, postou o presidente.

Veja:

Em dezembro de 2021, um grupo de médicos e profissionais escreveu uma carta para a plataforma de áudio com a intenção de mitigar a disseminação de desinformação no programa chamado The Joe Rogan Experience, exclusivo do Spotify.

Após um protesto antivacina feito no podcast de Rogan, o músico Neil Young tomou uma medida drástica, após não ter um pedido atendido pelo Spotify: pediu para que suas músicas fossem retiradas do streaming de música. O próprio serviço anunciou a retirada das canções.

Responsável por hits como Rockin’ in the Free World e Harvest Moon, o próprio Neil, por meio de uma carta aberta publicada em seus perfis oficiais na internet, condenou as atitudes de Rogan e pediu que fosse excluído da plataforma.

“Não os dois”

“Estou fazendo isso porque o Spotify está espalhando informações falsas sobre vacinas. Potencialmente causando morte aos que acreditam na desinformação que está sendo espalhada por eles. Eles podem ter Rogan ou Young. Não os dois”, afirmou o cantor, no último dia 26.

Um porta-voz da plataforma de streaming falou sobre a decisão do cantor ao The Hollywood Reporter. “Nós queremos que toda a música do mundo e todo o conteúdo em áudio esteja disponível para os usuários do Spotify. Com isso, vem uma grande responsabilidade ao balancear a segurança de nossos ouvintes e a liberdade de nossos criadores”.

“Nós temos políticas de conteúdo detalhadas em posição e removemos mais de 20 mil episódios de podcasts relacionados à Covid desde o início da pandemia. Nós lamentamos a decisão de Neil em remover sua música da plataforma, mas esperamos que ele retorne logo”, lamentou o porta-voz.

Depois de toda a confusão, o Spotify divulgou que vai passar por algumas mudanças nos próximos dias para combater a desinformação sobre a Covid-19.

O gigante do streaming musical anunciou que todos os podcasts que mencionarem a Covid-19 virão acompanhados de links com informações verificadas sobre o vírus.

Mais lidas
Últimas notícias