Bolsonaro posta texto que acusa China de piratear mares e saquear recursos

Presidente Jair Bolsonaro usou as redes sociais para divulgar críticas pesadas ao maior parceiro comercial do Brasil

atualizado 26/12/2020 16:21

Presidente Jair Bolsonaro Solenidade de Ação de Graças palacio planalto agenda presidente 1Igo Estrela/Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro publicou em suas redes sociais na tarde deste sábado (26/12) link para texto que acusa a China, o maior parceiro comercial do Brasil, de praticar “pesca predatória, ilegal, criminosa, pirata, bucaneira, em mares do mundo inteiro” e de fazer “saque de recursos naturais de outras nações sem pedir licença”.

O texto divulgado pelo presidente parte de uma suposta negociação entre uma empresa chinesa com sede brasileira em Goiânia, a Ample Develop Brazil Ltda, com o prefeito eleito da cidade de Rio Grande (RS) e com o governo gaúcho para montar um projeto de pesca de arrasto marinho no qual seriam investidos US$ 30 milhões (pouco mais de R$ 150 milhões).

Não há informações oficiais sobre essa negociação, e a conclusão de que o negócio poderia se ampliar para todo o litoral brasileiro é do autor, sem base em fatos. A informação inicial, da negociação, foi publicada ainda no dia 12 de dezembro no blog do jornalista gaúcho Políbio Braga.

É o texto compartilhado por Bolsonaro, do também jornalista Vitor Vieira, que faz pesadas críticas ao país asiático e insinua que o negócio no RS seria apenas o começo.

Veja uma imagem da postagem de Bolsonaro que ataca a China:

Postagem de Bolsonaro no Facebook
Trechos

Segundo o texto, há uma “situação crítica e tensa vivida há alguns anos, de forma silenciosa, no Atlântico Sul, decorrente da ação das frotas pesqueiras da China”

Afirmando que a empresa seria fornecedora do Exército chinês, o texto conclui com a afirmação de que “o mar brasileiro, definitivamente, não pode ser entregue ao controle de piratas chineses. A China pratica pesca predatória, ilegal, criminosa, pirata, bucaneira, em mares do mundo inteiro. Ela faz saque de recursos naturais de outras nações sem pedir licença”.

A divulgação do texto é mais um capítulo na tensão que a família presidencial tem construído com o gigante asiático, que é nosso maior comprador. No mês passado, o deputado estadual Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, acusou os chineses de planejarem fazer ciberespionagem via redes de telefonia 5G. A embaixada da China respondeu duramente, dizendo que quem fizesse esse tipo de crítica teria que “arcar com as consequências“.

0
Liberalismo seletivo

A postagem crítica de Bolsonaro a uma possível exploração internacional da pesca no país se choca com outros posicionamentos do presidente, nos quais ele ataca as barreiras ambientais que impedem uma maior exploração comercial do litoral brasileiro. A região de Búzios, no litoral do Rio, por exemplo, Bolsonaro sempre diz que quer transformar na “Cancún brasileira”.

Em relação à pesca, o presidente comemorou nesta semana liminar concedida pelo ministro Kassio Marques, do STF, permitindo que pescadores de Santa Catarina e Paraná possam pescar nos mares do Rio Grande do Sul.

“Um ano de muitas entregas, muito trabalho. A última ação nossa foi permitir que os pescadores de Santa Catarina e Paraná possam pescar nos mares do Rio Grande do Sul. Conseguimos uma liminar com o ministro Kássio Marques, revogando uma lei estadual, entre outras coisas”, afirmou Bolsonaro.

Últimas notícias