“Nós precisamos da China e a China precisa de nós”, diz Bolsonaro

Presidente comentou sobre a relação entre os dois países, uma semana depois que o filho Eduardo acusou orientais de espionagem cibernética

atualizado 29/11/2020 16:27

Isac Nóbrega/PR

Em coletiva na seção eleitoral onde vota, no Rio de Janeiro, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou, neste domingo (29/11), que não há problema nenhum com a China. Segundo o presidente, “o Brasil precisa da China e a China precisa muito mais do Brasil”.

Bolsonaro deu ênfase ao fato da China precisar mais do Brasil, por conta da relação comercial de importação de carne, que mantêm com o Brasil.

“Não temos problema nenhum com a China, nós precisamos da China e a China precisa muito mais de nós. Eles têm quase 1 bilhão de pessoas para alimentar. A China, ao longo dos anos, tem se mostrado mais urbana que rural”, apontou o chefe do Executivo brasileiro.

De acordo com Bolsonaro, com o problema da peste suína aumentou a necessidade de importar commodities do campo. “O chinês está cada vez mais consumindo proteínas, cujo a fonte é animal. Todo mundo quer o bem do seu povo”, finalizou.

Entrave diplomático

Há pouco mais de uma semana, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, acusou a China de espionagem cibernética. A hipótese foi levantada quando Eduardo comentava no Twitter sobre o programa de tecnologia do governo federal Clean Network, que, segundo ele, “pretende proteger seus participantes de invasões e violações às informações particulares de cidadãos e empresas”.

Apesar de Eduardo ter apagado a publicação, o embaixador chinês, por sua vez, reagiu às declarações do parlamentar e afirmou que tais afirmações “não são condignas com o cargo de presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados”.

“Isso é totalmente inaceitável e manifestamos forte insatisfação e veemente repúdio a esse comportamento”, argumentaram os representantes chineses em nota.

 

 

Últimas notícias