Bolsonaro cutuca governadores, mas avalia liberar recursos para leitos

Presidente disse que liberou "recursos vultuosos", mas problemas não foram selecionados nos estados como deveriam ter sido

atualizado 03/03/2021 15:03

Presidente Bolsonaro no CongressoIgo Estrela/Metrópoles

Em meio ao aumento de mortes e casos de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, e a escassez de leitos para internação, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta quarta-feira (3/3) que o governo federal pode liberar mais recursos para abertura de vagas de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

A fala do presidente ocorreu um dia após o país registrar 1,7 mil novas mortes pela doença — o maior número desde o início da pandemia.

Embora Bolsonaro analise liberar mais recursos aos estados, ele não deixou de dar uma cutucada nos governadores. Os embates têm sido cada vez mais frequentes. O presidente disse que  mandou muito dinheiro aos estados, que os problemas poderiam ter sido solucionados, mas não foram.

“Não quero culpar ninguém de nada, nem desconfiar ninguém de nada, mas foram recursos vultuosos que grande parte do problema poderia ter solucionado”, destacou.

Ele acrescentou. “Tem que haver uma previsão por parte dos governadores, e o contato tem que ser por parte dos secretários de Saúde junto ao ministério [da Saúde]. Nós aqui não nos furtamos a liberar recursos para isso, agora foi liberada uma quantidade enorme de recursos no ano passado”, frisou.

O presidente reconheceu que “agora veio uma 2º onda, uma cepa nova” e que ninguém esperava. Parece que ontem os governadores pediram mais recursos, vou conversar com Pazuello [general Eduardo Pazuello, ministro da Saúde]. Ele não é dono da chave do cofre, mas o que for possível fazer a gente vai fazer para preservar vidas”, garantiu.

Crise

Com o aumento vertiginoso de internações por Covid-19, vários estados enfrentam a lotação de vagas em hospitais. Santa Catarina, por exemplo, está transferindo pacientes para o Espírito Santo.

Já no Distrito Federal, o número de pacientes na fila de espera por um leito de UTI chegou a 50 na manhã desta quarta-feira. A situação se repete em Rondônia.

Almoço com embaixadores

As declarações foram dadas pelo presidente Bolsonaro logo após almoço com oito embaixadores de países do Golfo. O encontro ocorreu na residência do embaixador do Kuwait, Nasser Riden T. Almotairi, em Brasília.

Últimas notícias