MPDFT pede ao GDF plano de remobilização de leitos de UTI e enfermaria

Força-tarefa quer estudos e acompanhamento da taxa de transmissão de Covid-19 e novas cepas, além de outros questionamentos

atualizado 02/03/2021 21:31

A força-tarefa de enfrentamento à Covid-19 do Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) pediu, nesta terça-feira (2/3), informações à Secretaria de Saúde do DF sobre planejamento, com base nas informações técnicas e científicas, sobre o impacto da circulação comunitária das novas cepas de Covid-19 na capital.

O MPDFT pede que a pasta informe o plano para remobilização de leitos de UTI para atender os casos de infectados com a doença e enfermaria. O ministério quer saber também o estoque de medicamentos, exames laboratoriais e demais insumos hospitalares.

A pasta também deverá prestar esclarecimentos ao MPDFT sobre o estabelecimento de protocolo específico, visando o acompanhamento epidemiológico da circulação das novas cepas de Covid-19 no Distrito Federal. A força-tarefa quer o detalhamento das ações a serem executadas pelos órgãos do governo, com cópia de eventual nota técnica ou protocolo correspondente.

Na visão do Ministério Público, é fundamental que haja uma estratégia de acompanhamento do perfil das cepas em circulação no DF.

“Essa informação é indispensável para se fazer uma projeção do desenvolvimento da doença. Se esse controle biológico já estivesse sendo realizado efetivamente, o aumento recente de casos teria sido previsto e as ações para controle do vírus e a estruturação do sistema de saúde poderiam estar melhor organizadas”, observa o coordenador da força-tarefa, procurador de Justiça José Eduardo Sabo.

Variantes

Além disso, o MPDFT terá que ser comunicado a respeito das providências adotadas para a habilitação do Laboratório Central do Distrito Federal como referência para sequenciamento genético de amostras. O objetivo é viabilizar a identificação de novas cepas do Covid-19. A Secretaria deverá informar ao MP o prazo para o início das referidas atividades.

Membros da força-tarefa cobraram, pessoalmente, uma estratégia mais efetiva de controle do perfil biológico das novas cepas em circulação e a remobilização de leitos para tratar pacientes infectados pelo coronavírus.

No encontro, a estratégia de vacinação também esteve em pauta e, mais uma vez, o Ministério Público defendeu melhorias na organização logística, mais informação para a sociedade e aceleração da imunização.

Controle Biológico

Em outro ofício, também expedido nesta terça-feira (2/3) e encaminhado à Casa Civil, o Ministério Público requisita, no prazo de três dias, informações sobre modelo de projeção estatístico de desenvolvimento da Covid-19 no DF.

A força-tarefa lembra que, no ano passado, a Casa Civil coordenou modelo estatístico de mensuração das projeções relativas à evolução futura da Covid-19 no DF e que o levantamento recebia informações de órgãos como a secretaria e a Codeplan, tendo funcionado como importante ferramenta para orientar as ações futuras relativas à política de saúde durante a pandemia.

Para o MPDFT, os dados serviam também para identificar a necessidade de leitos de UTI da rede hospitalar, uma vez consideradas as projeções de atendimento dos pacientes acometidos pelo coronavírus.

Com informações do MPDFT.

Últimas notícias