Babá de Henry muda versão e pede para depor sem presença de Monique: “Tenho medo”

Thayna de Oliveira Ferreira afirmou que Jairinho não agrediu menino e que mentiu porque se sente ameaçada pela mãe da criança

atualizado 07/10/2021 10:23

Thayna Oliveira era babá no menino Henry BorelReprodução/TV Globo

Rio de Janeiro – A babá de Henry Borel, Thayna de Oliveira Ferreira, deu nova versão sobre as agressões que o menino sofreu do padrasto, o ex-vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho. Na primeira audiência sobre o caso, nessa quarta-feira (6/10), no 2º Tribunal do Júri, no centro do Rio de Janeiro, Thayna afirmou que nunca viu o menino ser agredido por Jairinho.

Antes de apresentar uma terceira versão, a babá pediu à juíza Elizabeth Machado Louro, que presidia a audiência, para que Monique Medeiros, mãe de Henry, saísse da sala. Ela afirmou que, “depois de tudo que passou”, tinha medo e se sentia ameaçada pela ex-patroa.

0

Segundo o G1, a babá disse que Monique a manipulou para acusar Jairinho das agressões. A mulher afirmou que tudo pode ter sido imaginação da sua cabeça.

“No meu entendimento, era a Monique que me fazia acreditar em muita coisa, e por isso a minha cabeça estava transtornada. Eu começava a imaginar um monstro. Mas ali no quarto poderia não estar acontecendo nada e eu estava imaginando um monte de coisa”, disse.

Babá se diz usada pela mãe

Ainda durante a sua nova versão dos fatos, Thayna afirmou que se sentiu usada pela mãe da criança. Foi nessa fala que a babá desmentiu que viu algum ato agressivo do ex-vereador com o enteado.

“Me senti usada em que sentido? No sentido de que ela vinha, contava, tentava me mostrar o monstro do Jairinho e eu ficava com todas as coisas ruins na minha cabeça. Era tudo suposição da minha cabeça. Eu nunca vi nenhum ato”, disse a babá.

Últimas notícias