Após aumento bloqueado na pandemia, planos de saúde serão reajustados

O reajuste de 2020 será cobrado em janeiro de 2021 e o valor poderá ser dividido ao longo de 12 parcelas

atualizado 30/12/2020 13:04

ISTOCK

Após bloqueio de reajustes nos planos de saúde durante a pandemia do coronavírus, o usuário enfrentará o aumento nos valores das mensalidades em janeiro de 2021. Os clientes já estão recebendo os boletos com os valores acrescidos.

Em caráter excepcional, o valor dos planos de saúde em 2020 não foi reajustado, como em todo ano, em função da pandemia do coronavírus. A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) divulgou que o reajuste deste ano seria cobrado em 2021, e que o valor poderia ser dividido ao longo de 12 parcelas, segundo informações do jornal O Tempo.

Em nota, a ANS afirmou que a proposta de parcelar o reajuste tem o intuito de “minimizar o impacto para os beneficiários e preservar os contratos estabelecidos”. O reajuste para planos individuais ficou estipulado em 8,14%, mas, para os planos coletivos (cerca de 80%), o aumento é variável, sendo o acréscimo médio de 15%.

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) acionou a Justiça, solicitando a proibição do reajuste. Além disso, entrou com um pedido de liminar na véspera do Natal, que foi negado. A entidade alegou que faltou diálogo e transparência na definição do valor. A ANS, por sua vez, informou que os dados que balizam o aumento são públicos e de conhecimento geral.

Últimas notícias