Dois meses após lançamento, 10 mil servidores aderiram ao plano de saúde do GDF

O convênio tem capacidade para atender até 600 mil pessoas, entre servidores públicos ativos e inativos e dependentes, segundo governo local

atualizado 25/12/2020 8:23

Palácio do BuritiIgo Estrela/Metrópoles

Lançado em outubro pelo governador Ibaneis Rocha (MDB), o plano de saúde dos servidores públicos do Governo do Distrito Federal, o GDF Saúde, conta com 10 mil adesões. O balanço é do Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores do Distrito Federal (Inas-DF), que gere o benefício.

O convênio tem capacidade para atender até 600 mil pessoas, entre servidores ativos e inativos e dependentes, segundo o GDF. As inscrições para participar do plano de saúde começaram em 3 de novembro.

Segundo o Inas, até o momento, mais de 100 beneficiários já foram atendidos por meio do plano de saúde, em casos de urgência e emergência. Procedimentos cirúrgicos também já ocorreram via o GDF Saúde.

Ao todo, nove centros médicos já estão credenciados e aptos a atender os servidores que aderiram ao plano. São eles: Hospital Alvorada, Hospital Daher, Hospital Home, Hospital Santa Marta, Hospital São Francisco, Hospital PAI, Hospital Urológico de Brasília, CBV Hospital de Olhos, Clínica Crescer Psiquiatria.

Rede credenciada

De acordo com o Inas-DF, mais de 400 clínicas e consultórios deram início ao processo de credenciamento, que inclui a entrega de documentos e vistoria técnica para avaliar se as exigências do convênio estão sendo cumpridas.

“As normas são colocadas para exigir da rede credenciada o melhor atendimento para os servidores”, afirmou o presidente do Inas-DF, Ney Ferraz. “O contrato também permite descredenciá-los a qualquer momento, caso não ofereçam serviços de qualidade para os usuários”, explicou.

O investimento dos cofres públicos no GDF Saúde é de mais de R$ 20 milhões mensais. O Executivo local liberou, na semana passada, crédito suplementar no valor de R$ 25 milhões para o convênio. “O dinheiro vai custear as despesas administrativas. As operacionais serão garantidas com as mensalidades dos segurados”, afirmou Ferraz.

Piso e teto

Como mostrou o Metrópolesquem optar por aderir ao plano deve saber que o piso para beneficiário titular é R$ 400 e o teto, R$ 1 mil. Para dependentes ativos, o valor mínimo é R$ 300; para os inativos, R$ 400.

Na portaria de regulamentação, estão previstos descontos em percentuais do salário. Por isso, há um piso e um teto de contribuição. O desconto para titulares é de 4% sobre a folha de remuneração bruta, porém, o valor não pode ser inferior a R$ 400 nem passar de R$ 1 mil.

Exemplo: se um servidor tem remuneração bruta de R$ 7 mil, 4% corresponde a R$ 280. Nesse caso, o titular pagará R$ 400, que é o mínimo de contribuição. Se os 4% do salário for maior que R$ 400, ele pagará o percentual até o limite de R$ 1 mil. O percentual e o valor fixados não são cumulativos.

Da mesma forma ocorre com os dependentes. Se o 1% de desconto der menos que R$ 200, o titular pagará R$ 200 por dependente.

0
Carências

Após cerca de 30 dias, com a adesão efetivada, o servidor contará com atendimentos de urgência e emergência 24 horas. A carência para consultas é de 60 dias; para exames complementares, 90 dias; parto, 300 dias; demais casos, 180 dias.

Também não será obrigatório o cumprimento de novos períodos de carência para o beneficiário dependente que se tornar pensionista e que manifestar intenção em permanecer o plano.

Não será exigida qualquer forma de carência se a inscrição do beneficiário ocorrer dentro de 30 dias da data de início do convênio celebrado na qualidade de beneficiários titulares, os integrantes da Polícia Militar do DF (PMDF) e do Corpo de Bombeiros Militar do DF (CBMDF), bem como os servidores ativos e inativos da Câmara Legislativa do DF (CLDF), do Tribunal de Contas do DF (TCDF) e os das carreiras policiais civis do DF, desde que essas instituições ou as entidades representativas de seus servidores firmem convênio ou contrato com o Inas.

Últimas notícias