Advogada tentou ocultar presença de bolsonarista em depoimento, diz PF

Oitiva fez parte de investigações sobre a relação de blogueiros bolsonaristas com a plataforma Gettr, de empresários norte-americanos

atualizado 08/10/2021 21:38

Igo Estrela/Metrópoles

Em documento enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), a Polícia Federal (PF) afirmou que uma advogada tentou ocultar a presença do assessor internacional da Presidência da República, Filipe Martins, durante a realização de dois depoimentos em inquérito que investiga a atuação de uma milícia digital no país. A informação é do portal G1.

A PF relatou que a advogada Milena Ramos Camara, que representava os dois empresários (Jason Miller – ex-assessor de Donald Trump e fundador de uma “rede social de direita” – e Gerald Brant, amigo da família Bolsonaro), pediu aos policiais para não registrarem a presença de Martins.

Segundo a corporação, Milena acompanhava os depoimentos dos empresários quando Filipe Martins entrou na sala. Questionada se ele também era advogado dos norte-americanos, ela “informou que se tratava de seu amigo e que ele estava no local apenas para resolver questões dos honorários”.

Ao fim dos depoimentos, a advogada apresentou uma nova versão alegando que Filipe Martins era seu namorado, que estava ali “apenas esperando para que almoçassem juntos” e, por isso, o nome não precisaria ser incluído no registro oficial.

A PF, no entanto, decidiu apurar quem eram os personagens – e confirmou que, na verdade, Filipe Martins é assessor do presidente Jair Bolsonaro e namora outra mulher.

A PF investiga a relação de blogueiros bolsonaristas com a plataforma Gettr, dos americanos. O serviço é semelhante ao Twitter, mas passou a ser usado por grupos de direita em todo o mundo por prometer uma plataforma “livre de moderação”.

Últimas notícias