Por que Eduardo Leite avança nas prévias do PSDB para presidente

Para favorecer um nome da terceira via com mais chances de vencer, a remoção de João Doria seria mais difícil

atualizado 19/10/2021 9:26

Hugo Barreto / Metrópoles

Pareceu, a princípio, um gesto de fraqueza de Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul, admitir que poderia abrir mão de sua candidatura a presidente da República pelo PSDB se surgisse um nome mais forte do que o dele para disputar contra Lula e Jair Bolsonaro a eleição do ano que vem.

Mas não. Essa é uma das razões que explicam seu crescimento dentro do partido às vésperas do dia marcado para a escolha do candidato. Leite leva jeito de que faria mesmo o que promete. Seu adversário, o governador João Doria, de São Paulo, nem pensar. Iria até o fim, para ganhar ou perder.

Há uma crença generalizada no PSDB de que a vitória será impossível com Leite ou Doria. Com Leite, por ele ser muito jovem e pouco conhecido no resto do país. Com Doria, porque não consegue crescer nas pesquisas de intenção de voto. A ser assim, melhor com Leite, que poderia ser removido mais facilmente.

Últimas do Blog