Ou o ministro da Saúde faz as vontades de Bolsonaro ou vai dançar

Fala de Marcelo Queiroga contra a cloroquina explica o apelido que Bolsonaro lhe deu de “um tal de Queiroga”

atualizado 14/06/2021 4:28

Presidente Jair Bolsonaro e o Ministro Marcelo Queiroga durante evento de Assinatura do contrato de transferência de tecnologia da AstraZeneca para a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em Brasília. Igo Estrela/Metrópoles

Políticos com largo trânsito no Palácio do Planalto, além de assessores do presidente Jair Bolsonaro, informam que o ministro da Saúde, o médico Marcelo Queiroga, deixou Bolsonaro furioso quando disse no seu segundo depoimento à CPI da Covid-19 que a cloroquina é ineficaz no combate à pandemia.

O depoimento foi na última terça-feira, dia 8. O que explica, segundo eles, o comentário feito por Bolsonaro dois dias depois em solenidade no Planalto. Bolsonaro disse:

– Acabei de conversar com um tal de Queiroga, não sei se vocês sabem quem é. Ele vai ultimar um parecer para desobrigar o uso de máscara por parte daqueles que estejam vacinados ou que já foram contaminados.

Queiroga ficou tão abalado com o que ouviu que, aconselhado por auxiliares, Bolsonaro reconheceu na sexta-feira que só cabe a governadores e prefeitos dispensarem o uso de máscaras. É verdade que, no sábado, voltou a reafirmar que encomendou o parecer. Queiroga não fará parecer algum.

Se for assim, seus dias no ministério poderão estar contados.