Lira quer mais é ver seu colega Ricardo Barros pelas costas

Conselheiros de Bolsonaro defendem uma ampla reforma ministerial para tirar o governo do sufoco. Quem se habilita?

atualizado 28/06/2021 6:23

Arthur Lira Fotos Igor Estrela/Metrópoles

Se dependesse de Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara, seu colega de partido, Ricardo Barros (PP-PR), jamais teria sido indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para líder do governo.

Uma vez que foi e que ainda é, já teria sido obrigado a renunciar à função desde que seu nome apareceu na lista de suspeitos de tentar embolsar grana com a compra da vacina Covaxin.

Bolsonaro sabe da posição de Lira a respeito de Barros, e que o deputado Luis Miranda (DEM-DF), antes de revelar sua conversa com o presidente da República, consultou Lira e obteve o seu ok.

Conselheiros de Bolsonaro, se é verdade que ele os tem, defendem uma ampla reforma ministerial para tirar o governo do sufoco em que se encontra. Como fez o presidente Collor antes de cair.

Ameaçado por um processo de impeachment, Collor montou um ministério de notáveis e começou a respirar melhor. Aí apareceu o motorista que o denunciou por corrupção, e ele caiu.

Que notáveis se disporiam, hoje, a servir como ministros a Bolsonaro?

Últimas do Blog