PTB de Jefferson, que atacou Bolsonaro, decide apoiar a sua reeleição

Em vídeo de um minuto ao lado do presidente, Graciela Nienov informa que o partido que preside estará com ele em 2022

atualizado 12/01/2022 13:42

Bolsonaro recebeu Graciela Nienov, presidente do PTB Reprodução de vídeo \ PTB

Em vídeo de um minuto de duração, Jair Bolsonaro recebeu a presidente do PTB, Graciela Nienov, no Palácio do Planalto, e ouviu da dirigente que o partido, comandado de fato por Roberto Jefferson, estará com o presidente neste ano em que ele tentará sua reeleição.

O filmete foi distribuído no grupo do PTB e deverá ser postado nas redes de Nienov. No rápido encontro, Bolsonaro diz ter longa relação com o PTB, cita Roberto Jefferson e diz que o partido irá “continuar junto” com ele neste 2022 e nos anos seguintes, apostando na sua reeleição.

“Recebendo aqui a Graciela, presidente do PTB, tem longa história com Roberto Jefferson. Já fui do PTB. Obviamente é um partido que nos apoia e continuará junto conosco nesse ano e nos outros anos também. Muito obrigado a você e a sua bancada, que é pequena, mas vai crescer” – disse Bolsonaro, lembrando que o partido tem poucos deputados, dez ao todo.

Graciela Nienov fala na sequência, anuncia o apoio.

“Vamos estar juntos pelo bem da nação. O PTB quer o bem da nação. Você representa as nossas crenças, a família brasileira, o sentimento das pessoas de bem. O PTB estará junto com você exatamente por isso” – disse Nienov.

0

Jefferson, que está preso em Bangu, é o presidente de honra do partido. Esse encontro entre a presidente de fato do partido e Bolsonaro não ocorreria sem sua aquiescência. O ex-deputado tem sido um crítico do presidente da República nos últimos meses.

Em outubro de 2021, em áudio, Jefferson acusou Bolsonaro de se cercar de “viciados em êxtase com dinheiro público” e que ele (Bolsonaro) e seu filho se “viciaram em dinheiro público”. O petebista já se queixou de ter sido “abandonado” por Bolsonaro e já chegou a anunciar apoio a uma eventual candidatura de Hamilton Mourão.