Projeto do passaporte vacinal “celebra” um ano e não andou na Câmara

Proposta foi apresentada em dezembro de 2020 e está parada até hoje na Mesa da Câmara

atualizado 06/01/2022 8:59

Câmara dos Deputados Rafaela Felicciano/Metrópoles

Há pouco mais de um ano, em 22 de dezembro de 2020, era protocolado na Câmara dos Deputados um projeto de lei que instituía, em todo o país, a obrigatoriedade da apresentação do passaporte vacinal para todos os servidores e agentes públicos, incluído o presidente da República.

Só que a proposta, de autoria do deputado Fausto Pinato (PP-SP), não “andou” sequer um milímetro. Segue parada e sem qualquer tramitação. A única data que aparece é a do dia da sua apresentação, do seu protocolo na Casa. O projeto está estacionado na Mesa Diretora da Câmara até hoje.

Apesar de integrar a base governista, Pinato, dependendo do seu humor, faz críticas ao governo Bolsonaro. Na justificativa do projeto, o autor cutuca o presidente.

“Com a expectativa de vacinação cada vez maior, o Brasil se prepara para um grande plano de vacinação, o qual inclui todos os brasileiros, encaixados em grupos prioritários e não prioritários. No entanto, em meio a este cenário positivo, instalou-se a politização da vacina, alimentada com notícias falsas (fake news) e negacionismos por parte de líderes políticos e governamentais, os quais influenciam muitos brasileiros a não se imunizar”, explicou Pinato no projeto.

Últimas do Blog