Neto de Golbery, que apoia Moro, é contra Lula tomar posse caso eleito

Em vídeo, Golbery do Couto e Silva Neto diz que, se for eleito, Lula "deveria ser impedido, da forma que for, de tomar posse"

atualizado 10/01/2022 11:10

Golbery do Couto e Silva Neto Reprodução / redes sociais

Sergio Moro conquistou, nas redes sociais, o apoio de Golbery do Couto e Silva Neto. Formado em Relações Internacionais e estrategista da Escola Superior de Guerra (ESG), como se apresenta, ele é neto de Golbery do Couto e Silva, figura proeminente no regime militar, que criou o temido Serviço Nacional de Informações (SNI) e teve papel preponderante na abertura política do país.

Golbery Neto acaba de ler o livro “Contra o sistema da corrupção”, de Moro, e está entusiasmado com sua candidatura à Presidência da República. “Acabou! Ou é Moro ou será o inferno!”, postou Neto há uma semana.

Num vídeo, ele se refere a Lula como um “larápio” e a Jair Bolsonaro como o “mentecapto”. E elogia o pré-candidato do Podemos ao Planalto.

“É um livro (de Moro) que deve ser lido por todos. É muito bem escrito. Sergio Moro é acadêmico, tem mestrado e doutorado. Ele sabe colocar as ideias claramente. De longe, é o candidato melhor preparado intelectualmente”, diz o neto do general batizado de “feiticeiro”, que, junto ao general-presidente Ernesto Geisel, o “sacerdote”, tornou-se artífice da distensão que resultou no fim do regime militar, como descreveu o jornalista Elio Gaspari na sua série de livros sobre o período de 1964 a 1985.

Golbery, o avô, criou o SNI em 1964 e o coordenou até 1967. Ele chefiou o Gabinete Civil da Presidência da República de 1974 a 1981.

Num dos vídeos que postou, em 6 de agosto do ano passado, Golbery Neto critica Lula e chega a dizer da necessidade de impedir sua posse, se o petista for eleito. O título do vídeo é “Golpe de Estado no Brasil: a história se repete?”.

“Sou um homem de direita. Não gosto do PT. Muito menos quero ver o Lula de novo eleito no Brasil. Tanto é que já falei aqui em vídeos que, se ele for novamente eleito, isso aí é uma coisa bizarra. E aí, sim, acho que ele deveria ser impedido, da forma que for, de tomar posse. Mas o Lula é um político extremamente hábil”, afirmou Golbery Neto.

Golbery Neto tentou uma incursão na política eleitoral. Em 2014, foi candidato a deputado estadual no Rio pelo Democratas e obteve apenas 102 votos. Entre os 1.846 postulantes a uma das vagas, terminou em 1.430º lugar. Naquela campanha, ele concorreu com o número 25.064. O 64 no fim foi proposital, em referência ao ano do golpe militar.

“A escolha do número foi uma alusão ao que ocorreu a partir de 1964. Acho esta história bastante deturpada”, disse Neto à época, em entrevista ao jornal O Globo.

Ele atribuiu sua baixa votação ao fato de que sua campanha demorou a se consolidar e afirmou que “efetivamente não houve campanha”.