Blog com notícias, comentários, charges e enquetes sobre o que acontece na política brasileira. Por Ricardo Noblat e equipe

18 anos Blog do Noblat

Embrapa exige trabalho presencial em plena pandemia, acusa sindicato

Comando da empresa nega e diz que tem tomado medidas para conciliar segurança dos trabalhadores e garantir o abastecimento do país

atualizado 20/01/2022 17:40

Embrapa Reprodução \ Redes Sociais

A direção do Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Pesquisa e Desenvolvimento Agropecuário (Sinpaf) acusa o comando do Embrapa, empresa vinculada ao Ministério da Agricultura,  a pressionar os chefes das 43 unidades regionais da empresa a manter as atividades presenciais de seus servidores, dificultando o teletrabalho – o home office – e também vetando o revezamento entre os trabalhadores.

Há dez dias, o presidente da Embrapa, Celso Luiz Moretti, em uma deliberação, deu autonomia para as chefias regionais da Embrapa a decidirem sobre o trabalho remoto, mas, para os sindicalistas, se tratou de uma decisão “para inglês ver”, ou seja, apenas no papel.

“Foi uma deliberação frágil, limitada e que restringe o grupo que pode ficar em teletrabalho ou não. Ainda assim, essa autonomia é limitada, é para inglês ver, um jogo de cena. Delegou no papel a definição sobre continuidade ou não do trabalho, mas, nos bastidores, manobra para forçar os gestores a manterem as atividades presenciais, num posicionamento claramente político e ideológico” – afirmou Marcus Vinicius Sidoruk Vidal, presidente do Sinpaf, ao Blog do Noblat.

Segundo o sindicato, vários chefes estaduais estão pedindo autorização à sede da Embrapa para autorizar o home office, mas estão sendo “majoritariamente” negados por  meio do Comitê de Monitoramento e Prevenção do Coronavírus da empresa.

Vinicius afirma que os casos de contaminação de Covid-19 entre servidores da Embrapa aumentou consideravelmente e já atingiu 100 servidores da sede, que tem um total de 650 empregados. Ele citou ainda o caso de Roraima: dos 75 servidores, 10 estariam contaminados.

Empresa nega acusação 

A direção da Embrapa negou as acusações e informou que tem adotada as medidas sanitárias para proteção de seus servidores.

“A Embrapa esclarece que tem protocolos estabelecidos para o trabalho seguro dos seus empregados e adotou recentemente medidas complementares para prevenção e combate à Covid-19 em suas instalações, incluindo medidas de contenção” – informou a Embrapa, que complementou.

“Desde o começo da pandemia, a Embrapa vem conciliando a segurança do trabalho e o cumprimento de sua missão institucional, contribuindo para a segurança alimentar e o abastecimento do país”.

Últimas do Blog