Privação do sono: entenda os malefícios da falta de descanso adequado

Dores, dificuldade de aprendizado, risco de acidentes, irritabilidade e tantos outros sintomas estão relacionadas à insônia crônica. Confira

iStockiStock

atualizado 26/04/2019 9:25

Com uma gestação desafiadora em vários sentidos, tal qual a minha é, a última novidade é que não tenho dormido. Não me refiro a um sono sem qualidade, mas sim a não dormir. Há noites que nem sequer pesco uns minutinhos, outras que consigo arrancar uma, duas horinhas de descanso no total. Motivos à parte, vim desabafar sobre a importância de uma boa noite de sono.

Você sabia que uma das táticas de tortura psicológica usadas pela CIA (agência de inteligência norte-americana) é a privação do sono? Tem ideia de como uma pessoa que não dorme é capaz de ficar? Foi analisando o meu comportamento após essas noites de privação do sono que me fez refletir e dar valor a uma bela e reparadora noite de descanso físico, mental e psicológico.

Se você já passou a noite jogando ou virando para lá e para cá, já sabe como vai se sentir no dia seguinte – cansado, mal-humorado e irritado. Mas perder de sete a nove horas de repouso noturno recomendadas faz você se sentir grogue e mal-humorado.

Os efeitos a longo prazo da privação do sono são reais: drena nossas habilidades mentais e coloca a saúde física em risco. A ciência tem relacionado o sono precário a todos os tipos de problemas de saúde, desde ganho de peso até enfraquecimento do sistema imunológico. Obter menos de sete horas de sono regularmente pode levar a consequências na saúde que afetam todo o corpo.

Nosso corpo precisa dormir, assim como precisa de ar e comida para funcionar no seu melhor. Durante o sono, o corpo se cura e restaura seu equilíbrio químico. O cérebro cria novas conexões e ajuda na retenção de memória.

Sem dormir o suficiente, os sistemas cerebrais e corporais não funcionam normalmente. A qualidade de vida é drasticamente reduzida, entre outras infinitas consequências, como apresento a seguir, baseada nas informações do site americano healthline.com.

Sistema nervoso central
O sistema nervoso central é a via de informação do corpo. O sono é necessário para mantê-lo funcionando adequadamente, mas a insônia crônica pode atrapalhar o modo como o corpo geralmente envia informações.

Durante o sono, caminhos se formam entre as células nervosas (neurônios) no cérebro. Eles ajudam a lembrar de novas informações que você aprendeu. A privação do sono deixa o cérebro exausto, não podendo desempenhar suas funções adequadamente. Além disso, pode ser mais difícil se concentrar ou aprender coisas novas. Os sinais enviados pelo corpo também podem ser atrasados, diminuindo a coordenação e aumentando o risco de acidentes.

A privação do sono afeta negativamente nossas habilidades mentais e estado emocional. Podemos nos sentir mais impacientes ou propensos a mudanças de humor, além de não comprometer processos de decisão e criatividade.

Caso a privação do sono persista por muito tempo, a pessoa pode começar a ter alucinações – vendo ou ouvindo coisas que não estão lá. A falta de sono também pode desencadear mania em pessoas que têm transtorno bipolar.

Outros riscos psicológicos incluem:

• comportamento impulsivo
• ansiedade
• depressão
• paranoia
• pensamentos suicidas

Sistema imunológico
Enquanto dormimos, o sistema imunológico produz substâncias protetoras que combatem a infecção, como as citocinas. Ele usa essas substâncias para combater invasores estrangeiros, como bactérias e vírus.

As citocinas também ajudam a dormir, dando ao seu sistema imunológico mais energia para defender seu corpo contra doenças. A privação do sono impede que o sistema imunológico desenvolva suas forças. Se você não dorme o suficiente, seu corpo pode não ser capaz de afastar os invasores e também pode levar mais tempo para se recuperar da doença.

A privação de sono a longo prazo aumenta o risco de doenças crônicas, como diabetes e doenças cardíacas.

Sistema respiratório
A relação entre o sono e o sistema respiratório ocorre nos dois sentidos. Um distúrbio respiratório noturno chamado apneia obstrutiva do sono (AOS) pode interromper o adormecimento e diminuir a qualidade.

Como você acorda durante a noite, isso pode causar privação de sono, o que deixa você mais vulnerável a infecções respiratórias, como o resfriado comum e a gripe. A privação do sono também pode piorar as doenças respiratórias existentes, como a doença pulmonar crônica.

Sistema digestivo
O sono afeta os níveis de dois hormônios, leptina e grelina, que controlam as sensações de fome e plenitude.

A leptina diz ao cérebro que você já comeu o suficiente. Sem dormir o suficiente, o cérebro reduz a leptina e aumenta a grelina, que é um estimulante do apetite. O fluxo desses hormônios poderia explicar os lanches noturnos ou porque alguém pode comer mais tarde à noite.

A falta de sono também pode fazer com que você se sinta cansado demais para se exercitar. Com o tempo, a atividade física reduzida pode levar ao ganho de peso, porque você não está queimando calorias suficientes e construindo massa muscular.

Além disso, não dormir o suficiente também leva o corpo a liberar níveis mais altos de insulina depois de comer. A insulina controla a quantidade de açúcar no sangue. Níveis mais altos de insulina promovem o armazenamento de gordura e aumentam o risco de diabetes tipo 2.

Sistema cardiovascular 
O sono afeta processos que mantêm o coração e os vasos sanguíneos saudáveis, incluindo os níveis de açúcar no sangue, pressão sanguínea e inflamação. Ele também desempenha um papel vital na capacidade do seu corpo para curar e reparar os vasos sanguíneos e coração.

As pessoas que não dormem o suficiente têm mais probabilidade de contrair doenças cardiovasculares. Uma análise ligou a insônia a um aumento do risco de ataque cardíaco e derrame.

Sistema endócrino
A produção de hormônios depende do seu sono. Para a produção de testosterona, você precisa de pelo menos três horas de sono ininterrupto, o que é aproximadamente o tempo do seu primeiro episódio REM.

Acordar durante a noite afeta o processo, inclusive a produção de hormônio de crescimento, especialmente em crianças e adolescentes. Esses hormônios ajudam a construir massa muscular e reparar células e tecidos. A glândula pituitária libera hormônios de crescimento continuamente, mas o sono e o exercício também ajudam a induzir a liberação.

Entenderam a gravidade da situação? Recentemente, depois de alguns dias nessas condições, consegui dormir 10 horas seguidas. Foi uma daquelas noites reparadoras. Acordei com alegria, disposição, vontade de viver, de malhar, trabalhar. Estava feliz, ria para as pessoas na rua. Percebi e passei a dar um valor maior ainda ao sono.

Portanto, se você também está passado por algum distúrbio relativo parecido, ou sente que não tem um sono reparador e acorda mais cansado do que foi dormir, procure ajuda, mude alguns hábitos, dê a devia atenção a ele. Boa noite!

Últimas notícias