*
 

Em conversas com amigos sobre os rumos e as incertezas do mundo, há uma pergunta reincidente diante de tanta turbulência que vivemos: como trabalhar com o que se gosta, ganhar dinheiro por isso e ser feliz. Tudo ao mesmo tempo. Fazendo um paralelo com o universo dos negócios, a resposta para as três perguntas acima parece que tem um endereço: Castália Padaria e Café.

O comércio foi montado com um conceito diferente, muito comum da economia colaborativa (crowdfunding). Vários sócios numa mesma empreitada. Todos apostando um pouco das moedas do cofrinho para garantir o sucesso do negócio. Isso, por si só, garante engajamento e maior dedicação da equipe.

Toda vez que chego por lá, a sensação que tenho é de que todos são donos. Prestativos e com sorriso no rosto, as pessoas que trabalham no local têm um ar leve e astral bacana. E a produção não para. Há sempre movimento em diversas horas do dia, o que indica boa saída dos pães, das tortas e dos vários tipos de cafés, além de outros produtos, como geleias, pasta de amendoim e castanha de caju e farinha.

Aliado a tudo isso, a Castália tem diversidade e qualidade na produção. Os pães são do tipo sourdough, feitos com leveduras selvagens que fazem a fermentação natural, o que confere sabor e textura especiais. Isso garante a eles um sabor mais ácido, casca mais grossa do que a habitual, interior macio e furos dentro da massa.

A Castália faz o melhor croissant da cidade. A textura, a crocância e, até mesmo, a quantidade de manteiga desta iguaria francesa são perfeitos. A cada mordida, ouve-se o ‘croc’. E, se você resolver comê-lo em camadas, acredite, elas estarão lá todas alinhadinhas. Um espetáculo!

Aliás, as massas folhadas são um dos pontos alto da casa, tanto as salgadas quanto as doces. Há diversas opções como as recheadas de queijo minas, maçã com amêndoas e o pain au chocolat e as sazonais, como a de damasco com mel e pólen e o de goiaba com chocolate branco.

Outro grande destaque da Castália é o pão de curry, cúrcuma e grãos – espécie de assinatura, único na cidade. Saboroso, ele tem a cor amarelada devido aos ingredientes. Cai muito bem no café da manhã com uma manteiguinha ralada que eles servem por lá. Nota-se o cuidado com os detalhes. A manteiga, por exemplo, vem desta forma para facilitar a “passada” no pão.

A coleção de pães, expostas na vitrine de estilo industrial, deixa qualquer um desnorteado no que pedir. A vontade é de pedir para embrulhar um de cada. O pão de castanha de caju e cranberry acerta na acidez e tem um sutil toque de amargor. O de cacau com ameixa é menos furadinho que os outros, levemente adocicado, excelente para encerrar uma refeição com geleia ou sorvete. E a baguete com queijo minas e pimenta rosa? Macia, temperadinha e com aquele final mais aromático por conta do fruto da aroreira. O pão de batata roxa com flocos de cebola…humm

A turma do Castália faz o que gosta e com rigor e controle de produção. Vira e mexe, eles pisam um pouco na bola no assunto atendimento, esquecendo de servir um produto quando você está à mesa ou na falta de sincronia entre levar o café e o pão solicitado. Isso precisa ser ajustado, mas é um detalhe muito pequeno diante da grandiosidade do trabalho e do capricho dos produtos oferecidos aos clientes. Que o exemplo de trabalhar feliz e com o que se gosta se multiplique por Brasília.

Ps: A coluna agora passará a ser publicada aos sábados. Anote na agenda! 

Cortês, sim; omissa, não.

Devo ir?
Sim, sempre.

Ponto alto:
Os folhados são demais, principalmente o croissant.
Amo também o pão de curry e cúrcuma.

Ponto fraco:
Às vezes, o atendimento é disperso.

Castália Padaria e Café
CLN 102 Bloco D Lojas 64/74. Telefone: (61) 3081-8899. De terça a sexta-feira, das 8h às 19h30. Aos sábados, das 8h às 17h30

 

 

COMENTE

CaféPadariacastália
comunicar erro à redação

Leia mais: Ao