*
 

Dois restaurantes italianos com pedigree, franquias vindas de São Paulo e com endereços em shopping. Dois cardápios de preços aproximados. Dois almoços executivos. A ideia era comparar o Gero e o La Tambouille. Na disputa acirrada e de igual pra igual, ver quem estava mais bem preparado para receber o cliente.

O almoço executivo do Gero custa R$ 104 com couvert, entrada, principal e sobremesa, mais o serviço. Já no La Tambouille, o trio tradicional do executivo adicionando o couvert opcional sai por R$ 80, mais o serviço. Posto isso, vamos aos fatos:

ATENDIMENTO – Gero 1 x 0 La Tambouille
Ao chegar ao Gero, você é recebido pelos funcionários com sorrisos. Independentemente de ser cliente novo ou antigo. Todo serviço transcorre de maneira tranquila e suave. O La Tambouille tem serviço agradável. Simpáticos, os garçons ora atendem bem, ora pisam um pouco na bola, no momento de colocar os pratos na mesa. Nessa competição acirrada, o primeiro se sai melhor.

COUVERT – Gero 1 x 0 La Tambouille
Ambos se esmeram neste item. No La Tambouille, a variedade é maior. O couvert é composto por ingredientes mais comuns, como pão de queijo, azeitona e torradas. O do Gero tem mais simplicidade e sofisticação, mesmo ao adotar produtos aparentemente mais simples como manteiga, de excelente qualidade, além dos pães quentinhos e chips crocantes e viciantes de abobrinha.

ENTRADA – Gero 1 x 0 La Tambouille
Um dos pontos de maior dissonância entre os dois restaurantes. No La Tambouille, comi uma polenta apenas morna e com grumos (e olha que, no cardápio, falava que era cremosa), molho de tomate pelati sem sabor nem tempero e linguiças (escassas, difíceis de notar). Também comi um carpaccio, de boa qualidade, mas com um molho de mostarda excessivamente ácido, acompanhado de torradas velhas e queijo ralado havia muito tempo.

No Gero, fui de salada caprese (mais simples, impossível) com tomates doces assados e deliciosos, muçarela de búfala, nozes, azeitonas pretas e um levíssimo molho pesto. Bons produtos, bem executados e sabor no prato. Experimentei um creme de abóbora delicioso, um pouco sem sal, devo confessar, mas que contrastava com os croutons crocantes e mais salgadinhos.

PRINCIPAL – Gero 1 x 0 La Tambouille
No Gero, dois pratos de tirar o fôlego. Uma rabada excelente, bem temperada e com linda apresentação, acompanhada de polenta cremosíssima. Um luxo de sabor. O outro prato foi orecchiette (massa) com cubos de robalo e molho mediterrâneo. Boa porção, equilibrada de temperos e sabores, já que usavam dois ingredientes complicados como azeitona e alcaparras, ambos com a potência de salgar qualquer prato. O peixe no molho aveludado estava com a textura correta.

No La Tambouille, a proposta me pareceu preguiçosa. Com apresentação mal cuidada, ambos pratos eram acompanhados pelo mesmo tipo de massa com azeite ou manteiga trufada – uma cafonice só. Um com pedaços de um cordeiro macio, porém com molho gorduroso, e o outro com um linguado, sem tempero e sem graça, com molho de laranja. Fui premiada ainda com duas espinhas do peixe.

SOBREMESA – Gero 1 x 0 La Tambouille
No La Tambouille, pedi mousse de limão. Ela veio verde, bem verde. Perguntei: é corante? O garçom hesitou, foi até a cozinha e me disse: “É sim!”. Confesso que não entendo a necessidade de transformar uma mousse de limão em filhote de Hulk. A segunda sobremesa, uma banana flambada com sorvete, estava ok. Bom, já no Gero, a sobremesa foi pudim de pistache, saboroso, cremoso, impecável. Verde por natureza, sem corante.

TIRAMISSU – Gero 1 x 0 La Tambouille
Ambos bem preparados. Rolaria quase um empate. Mas a sobremesa mais tradicional italiana do Gero é preparada e servida com mais esmero e desce mais agradável no paladar.

CARTA DE VINHOS – Gero 1 x 1 La Tambouille
Ambas caríssimas. Sendo que a do Gero consegue ter mais vinhos com menos de três dígitos. Sabemos dos impostos nas bebidas, mas as duas casas abusam da paciência do cliente no quesito preço de vinho.

AMBIENTE – Gero 1 x 0 La Tambouille
Gero ganha de lavada. A velha história do mais ser menos. Não há necessidade de uma parede de plantas verdes se, ao fundo, a música estridente italiana do La Tambouille acaba com seu momento de tranquilidade e prazer. Simplicidade com elegância combina mais.

Nessa competição, ambos competidores são bastante preparados. Porém, o desempenho do Gero supera e muito o seu adversário. Já que a relação custo benefício é alta, aposto na que me dá mais prazer.

Cortês sim; omissa, não.

DEVO IR?
Sim, em ambos.

PONTO ALTO:
Nos dois, a qualidade dos ingredientes.

PONTO FRACO:
Tanto no Gero quanto no la Tambouille, as cartas de vinhos são caríssimas.

Gero (JK Iguatemi, Lago Norte; 61 3577-3520).
La Tambouille (ParkShopping, Via Epia, Guará, 61 3047-5925).

 

 

COMENTE

crítica gastronômicagerola tambouilleculinária italaian
comunicar erro à redação

Leia mais: Ao