Turma da Mônica ensina aos alunos do DF o respeito às mulheres

Desenhos são apresentados a crianças e adolescentes com a mensagem de bom relacionamento entre homens e mulheres

Desenho da Turma da Mônica com Cascão chorandoReprodução

atualizado 06/03/2020 10:26

Cascão aparece chorando, com a mão no joelho. O pai dele aparece e o personagem logo se explica: “Só estou chorando porque está doendo”. Seu Antenor responde: “Mas qual é o problema em se chorar?”. Depois, o pai pede para o filho e os amigos limparem a sujeira que fizeram. E quem aparece varrendo é o próprio Cascão. É com essas mensagens de que menino pode chorar e também participar das tarefas da casa que foi lançado o programa que utiliza a Turma da Mônica para combater preventivamente o feminicídio e a violência doméstica.

As animações serão exibidas para estudantes da rede pública do Distrito Federal a fim de conscientizar a criançada do respeito à mulher. O Governo do DF (GDF) exibiu as imagens pela primeira vez nesta quinta-feira (05/03), no Cine Brasília.

Veja um dos vídeos completos:

Após a exibição dos desenhos feitos pela Maurício de Souza Produções, os pequenos “deram like” para os filmes. Segundo o estudante, Miguel Ferreira, de 13 anos, a mensagem mais bacana dos filmes é o respeito às mulheres. “A gente precisa tratá-las melhor”, afirmou o menino.

A estudante Hellen Mirlhyr, 15 anos, também gostou das mensagens. “Achei bom porque ele mostra o respeito às mulheres. E diz que nós temos que dizer não para determinadas coisas”, comentou a aluna.

Foram exibidos trechos de dois filmes. Um com foco para crianças e outro para jovens. O material também terá versão adaptada para passar a mensagem para surdos.

Veja outras partes em edição feita pelo Metrópoles:

Não só as crianças são alvos da campanha. Os adolescentes também receberam animações especiais da Turma da Mônica Jovem. Nelas são apresentadas situações de sentimento de posse e controle de um rapaz em relação à namorada. Conceitos como ciúmes são combatidos, enquanto a palavra respeito toma destaque.

Professores e alunos

O projeto é da Secretaria de Segurança Pública do DF (SSP-DF) e da Secretaria de Educação do DF (SEE-DF), em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e a ONU Mulheres. E faz parte de uma campanha maior no combate à violência contra a mulher, que inclui a inauguração de uma nova delegacia em Ceilândia.

Segundo o secretário de Educação, João Pedro Ferraz, além dos desenhos, a pasta vai capacitar os professores para lidar com situações de violência. “Queremos que eles sejam elos, canais para as crianças denunciarem”, resumiu.

A Secretária de Segurança do DF informou que 91% dos crimes contra a mulher ocorrem a partir do “sentimento de posse: do companheiro. Ou seja, a cada 10 crimes, em nove o agressor cometeu a violência porque se considerava dono da vítima.

Para o secretário de Segurança Pública, Anderson Torres, o objetivo da campanha é agir preventivamente na formação das crianças, a fim de que, no futuro, a onda de feminicídios possa ser lembrada como uma “triste lembrança”.

Últimas notícias