Polícia vai ouvir homem que espancou ex em prédio de Vicente Pires

Vítima teve pedido de medida protetiva aprovado pela Justiça. Caso ocorreu no domingo (08/09/2019)

ReproduçãoReprodução

atualizado 10/09/2019 18:16

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) vai ouvir o homem flagrado por câmeras de segurança espancando a ex-companheira no prédio onde ela mora, em Vicente Pires. De acordo com a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), responsável pelas investigações, o depoimento do agressor, identificado como Ramon Almeida, deve ser colhido entre esta terça (10/09/2019) e quarta-feira (11/09/2019).

Ainda nesta terça, a mulher alvo das agressões teve medida protetiva deferida pela Justiça do DF. Ela também já prestou depoimento à PCDF e entregou as imagens que mostram os minutos de terror vivenciados por ela no último domingo (08/09/2019).

A PCDF já instaurou inquérito policial e investiga o caso. As gravações mostram o agressor esmurrando a porta. A vítima sai do apartamento e uma briga se inicia. Após dar vários socos e derrubá-la, o suspeito ainda desfere chutes no rosto da companheira antes de ir embora. A mulher precisou ser levada ao hospital.

De acordo com integrantes da família do agressor, o homem já possui histórico de violência em relacionamentos anteriores. “Se a companheira ir na padaria sem avisar, já é motivo de briga”, disse um parente, que não quis se identificar.

Veja as imagens da câmera de segurança do prédio:

Neste 2019, o Metrópoles iniciou um projeto editorial para dar visibilidade às tragédias provocadas pela violência de gênero. As histórias de todas as vítimas de feminicídio do Distrito Federal serão contadas em perfis escritos por profissionais do sexo feminino (jornalistas, fotógrafas, artistas gráficas e cinegrafistas), com o propósito de aproximar as pessoas da trajetória de vida dessas mulheres.

O Elas por Elas propõe manter em pauta, durante todo o ano, o tema da violência contra a mulher para alertar a população e as autoridades sobre as graves consequências da cultura do machismo que persiste no país.

Desde 1° de janeiro, um contador está em destaque na capa do portal para monitorar e ressaltar os casos de Maria da Penha registrados no DF. Mas nossa maior energia será despendida para humanizar as estatísticas frias, que dão uma dimensão da gravidade do problema, porém não alcançam o poder da empatia, o único capaz de interromper a indiferença diante dos pedidos de socorro de tantas brasileiras.

Últimas notícias