Homem não aceita fim da relação e incendeia casa da namorada no DF

Mulher não sofreu ferimentos graves. Ela contou à polícia que o agressor a trancou em casa, bateu nela e ameaçou matá-la

Divulgação/Corpo de BombeirosDivulgação/Corpo de Bombeiros

atualizado 09/06/2019 17:58

A Polícia Militar do Distrito Federal prendeu homem suspeito de atear fogo em uma casa na Quadra 37 do Recanto das Emas. O crime ocorreu por volta das 20h20 desse sábado (08/06/2019). A corporação informou que recebeu denúncias de que uma mulher estava sendo agredida e ameaçada no endereço.

Quando ouviu as sirenes, o agressor fugiu pelo telhado do vizinho. Quando as viaturas saíram em perseguição, ele retornou ao imóvel e provocou o incêndio, com a intenção de matar a namorada, após ela dizer que o deixaria.

As chamas altas ameaçavam os outros apartamentos, mas ninguém se feriu. O Corpo de Bombeiros mobilizou três viaturas e 12 militares no combate às chamas. O fogo foi provocado no apartamento do primeiro pavimento andar do sobrado. Os militares usaram técnicas para evitar que o incêndio se propagasse. Devido a alta temperatura, a estrutura do apartamento ficou com diversas rachaduras, sendo isolado pela Defesa Civil.

Segundo a PMDF, a vítima contou que morava com o seu agressor há aproximadamente um ano e que, nos últimos meses, o relacionamento estava bastante conturbado. Ela disse ter juntado seus pertences pessoais e quis colocar um fim no relacionamento com o autor no sábado, mas o homem ficou bastante irritado e a arrastou, puxando pelo braço, para a residência e trancou a casa.

Ainda de acordo com a mulher, o companheiro seria usuário de drogas e a maltratava há alguns meses. Vizinhos confirmaram a versão dela. A vítima demonstrou interesse em obter as medidas protetivas prevista na Lei Maria da Penha.

O agressor foi conduzido à UPA do Recanto das Emas por ter sofrido arranhões pulando os telhados e, posteriormente, à 27ª Delegacia de Polícia (Recanto das Emas) para registro da ocorrência de tentativa de feminicídio.

Neste 2019, o Metrópoles iniciou projeto editorial para dar visibilidade às tragédias provocadas pela violência de gênero. As histórias de todas as vítimas de feminicídio do Distrito Federal serão contadas em perfis escritos por profissionais do sexo feminino (jornalistas, fotógrafas, artistas gráficas e cinegrafistas), com o propósito de aproximar as pessoas da trajetória de vida dessas mulheres.

O Elas por Elas propõe manter em pauta, durante todo o ano, o tema da violência contra a mulher para alertar a população e as autoridades sobre as graves consequências da cultura do machismo que persiste no país.

Desde 1° de janeiro, um contador está em destaque na capa do portal para monitorar e ressaltar os casos de Maria da Penha registrados no DF. Mas nossa maior energia está sendo despendida para humanizar as estatísticas frias, que dão uma dimensão da gravidade do problema, porém não alcançam o poder da empatia, o único capaz de interromper a indiferença diante dos pedidos de socorro de tantas brasileiras.

Últimas notícias